Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Lulo rende mais 3 milhões USD em lote de diamantes vendidos em bruto

A australiana Lucapa e os seus associados na exploração da mina do Lulo, na Lunda Norte, a Endiama (concessionárias) e a privada Rosa & Pétalas, venderam mais um lote de diamantes em bruto que rendeu mais de 3 milhões de dólares norte-americanos.

A venda deste lote de pedras em bruto, com 1 632 quilates, realizada na semana passada, segundo comunicado da Lucapa Diamond Company, empresa que gere a mina do Lulo, não inclui o excepcional diamante rosa de 46 quilates (na foto) encontrado há cerca de duas semanas.

Com um valor médio por quilate de 1 840 dólares, apesar de estar ainda longe de 2016, quando este mesmo valor médio chegou aos 2883 USD por quilate, o mais elevado do mundo nesse ano, a soma alcançada agora, ainda assim, coloca o Lulo entre as minas que produzem os valores mais elevados por quilate em todo o mundo.

Recorde-se que o Lulo é a estrela do sector diamantífero angolano quando a medida é tirada a partir do tamanho e qualidade das gemas extraídas da terra, sendo dali que saíram os três maiores diamantes produzidos em Angola.

Neste lote de gigantes, o destaque vai para o de 404 quilates encontrado no início de 2016, que foi, já em 2017, vendido após transformação numa jóia rara de 163 quilates, por 34 milhões de dólares.

Inicialmente o maior diamante jamais encontrado no país foi adquirido pela De Grisogono, a joalheira de luxo suíça, de Isabel dos Santos, por 16 milhões de dólares, soma justificada pelo tamanho, 404 quilates, e pela qualidade, um “D Color” excepcionalmente raro.

Apesar do sucesso global da mina do Lulo, segundo os seus responsáveis, o melhor pode estar ainda para vir, porque todas as gemas encontradas até agora são de produção aluvial, diamantes depositados nos cursos de água que atravessam os 3 000 km”s 2 que a concessão tem.

O que quer dizer que a empresa australiana mantém em curso uma procura intensa pelo kimberlito-mãe destes diamantes, que se crê estar algures no interior da vasta concessão na Lunda Norte, sendo a lógica elementar a possibilidade de no interior desse kimberlito, o composto rochoso responsável pela subida dos diamantes desde as entranhas da terra, onde se formam graças à enorme pressão e à elevadíssima temperatura, até à crosta terrestre.

Algumas das particularidades deste mina podem ser percebidas aqui, aqui ou aqui, entre outros exemplos. (Novo Jornal Online)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »