Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Em 2016, morreram 110 mil portugueses. E foram estas as principais causas

Segundo os dados do Instituto Nacional de Estatística a idade média de óbito no país foi de 81,1 anos.

O Instituto Nacional de Estatística apresentou os resultados estatísticos relativos às causas de morte ocorridas em território nacional em 2016.

Segundo os dados do INE, há dois anos registaram-se 110.970 óbitos para os quais foram apontadas duas razões predominantes: As doenças do aparelho circulatório que representaram 29,6% das mortes registadas; e os tumores malignos, que representaram 24,7%. Juntas as duas causas abrangem mais de metade dos óbitos ocorridos em Portugal (54,2%).

Ainda assim, em 2016, ocorreram menos 0,2% de mortes por doenças do aparelho circulatório, num total de 32.805. A idade média de óbito no país foi de 81,1 anos. Foram as mulheres a contribuir para a subida desta média, uma vez que para os homens a idade média foi de 78 anos e para elas de 83,7.

Por sua vez, o número de mortes com idade inferior a 70 anos subiu 0,5% em relação ao ano anterior. Também os tumores malignos causaram mais mortes (2,7%) do que em 2015. Este conjunto de doenças teve origem em mais mortes masculinas (59,6%) do que femininas (40,4%), sendo a idade média de óbito 73,1%.

Também os homens sofrem mais de mortalidade prematura, isto é, antes dos 70 anos. A morte prematura é assim “mais elevada para os homens (39,5%) do que para as mulheres (32,7%), e o número de anos potenciais de vida perdidos no país em 2016 devido às mortes por tumores malignos foi 111.072 anos”, pode ler-se nos dados publicados esta terça-feira pelo INE.

Em 2016, o que diminuiu foram as mortes por doenças do aparelho respiratório (12,1% face a 12,4% em 2015), assim como as causadas por diabetes mellitus (3,9% face a 4,0% em 2015). (Notícias ao Minuto)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »