Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Vinte e duas mil casas beneficiam de ligações da rede eléctrica em Benguela

A província de Benguela vai beneficiar de duas mil ligações de energia eléctrica ao domicílio até ao final de ano de 2018, anunciou, no Cubal, o ministro de Energia e Águas, João Baptista Borges, no quadro de uma visita de trabalho de dois dias efectuada a província de Benguela.

O governante, que falava à imprensa no último fim-de-semana, disse que dentro de dias Benguela vai começar a beneficiar de 22 mil ligações de energia eléctrica ao domicílio no âmbito do projecto de electrificação.

“A ligação entre Cambambe ao Lobito, a linha já esta concluída, havendo necessidade da estação do sistema de compensação que deverá decorrer nos próximos meses, este será um projecto que aliviará grande parte da produção térmica e dos custo de aquisição de combustíveis, porque Benguela vive de ponto de vista de abastecimento de 50 Megawatts, vindo do Lumaum”, disse.

Segundo o ministro, grande parte de energia distribuída na província de Benguela é por gerador e o sector vai, com esta ligação, reduzir estes custos.

João Baptista Borges explicou ainda ter sido lançado mais um projecto de média tensão, que vai melhorar a fiabilidade da rede de distribuição do Lobito, Benguela e Baia-farta.

Reconheceu que, a situação de abastecimento de energia eléctrica nos municípios do Bocoio e Cubal ainda é precária, mas que já há trabalho de electrificação em curso e com medida que visa beneficiar estas sedes municipais para que a população tenha mais energia.

Na ocasião, avançou que no quadro da electrificação de Benguela, vai-se também atender as necessidades das indústrias e não só há, uma vez existir um pólo agrícola importante que precisa de energia para pôr as suas instalações a funcionar, cujo trabalho está em curso.

O ministro frisou que, no âmbito de abastecimento de água, procede-se o reforço da capacidade de gestão destas empresas e também há que implementar a 3ª fase do projecto águas de Benguela, que prevê o aumento da sua capacidade que é captada no rio Catumbela e da quantidade que é tratada.

Para o governador de Benguela, Rui Falcão, foi uma visita exaustiva nos três municípios e analisou-se “in louco” os problemas que há e soluções possíveis.

Benguela vai sair beneficiada com este trabalho, quer no domínio da energia, quer das águas com melhorias nos dois serviços. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »