Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Itália inicia hoje consultas para a formação de governo

O presidente de Itália, Sergio Mattarella, inicia hoje consultas para a formação de governo na sequência das eleições gerais de 04 de março, em que nenhum partido ou coligação obteve uma maioria clara no parlamento.

O líder do populista Movimento 5 Estrelas (M5S), Luidi Di Maio, e o da da Liga (extrema-direita), Matteo Salvini, reivindicam ambos a vitória nas eleições.

O primeiro, porque o M5S foi o partido individualmente mais votado, com 32,6%, e o segundo porque a coligação que lidera, formada pelo seu partido, pela Forza Italia do ex-primeiro-ministro Silvio Berlusconi e pelo pequeno partido de extrema-direita Fratelli d’Italia, obteve a votação mais alta, com 37%.

Todos os cenários são possíveis, desde logo uma coligação entre o M5S e a Liga, que deram sinais de aproximação com a conclusão, no final de março, de um acordo para a repartição das presidências das duas câmaras do parlamento, a Câmara dos Deputados e o Senado.

Matteo Salvini afirmou na semana passada que está “disposto a conversar com toda a gente”, mas recusa ser “subalterno de quem quer que seja”, “dado que o centro-direita foi a coligação mais votada pelos italianos”.

Luidi Di Maio, por seu lado, sublinhou que “o desafio mais importante é formar um governo que respeite a vontade popular” e reafirmou que o M5S foi o partido mais votado.

O centro-esquerda do Partido Democrático, que obteve a 04 de março o seu pior resultado, 18,8%, assegurou para já que vai ser oposição e não apoiará uma coligação entre o M5S e a coligação de direita.

As consultas de Mattarella iniciam-se com encontros, hoje, com os presidentes eleitos das duas câmaras, Elisabetta Casellati (Senado) e Roberto Fico (Câmara dos Deputados), e com o ex-Presidente da República Giorgio Napolitano.

Na quinta-feira, o Presidente recebe os principais grupos parlamentares.

Esta fase, para a generalidade dos comentadores, vai provavelmente ser concluída com a marcação de uma nova ronda de consultas. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »