Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Após 50 anos, mulher que assistiu à morte de Luther King conta o que viu

Tinha oito anos quando assistiu ao assassinato do ativista pelos direitos civis, mas guardou até agora as memórias traumáticas daquele dia.

Foi há 50 anos que Rhonda James assistiu à morte de Martin Luther King. Contudo, só agora decidiu, pela primeira vez, falar sobre o que viu naquele dia e quais as últimas palavras do ativista.

A mulher conta que assistiu juntamente com o irmão ao assassinato de Luther King, em 4 de abril de 1968, mas que nunca o revelaram porque a sua mãe incentivou-os a não o fazerem, para poderem viver uma vida normal.

Rhonda tinha apenas oito anos quando o pai lhe perguntou se queria ir com ele conhecer o o famoso líder pela luta dos direitos civis. O homem era músico e ia tocar naquela dia o tema ‘Take My Hand, Precious Lord’ para Luther King, em Memphis, no Tennessee.

Antes que isso pudesse acontecer, Luther King acabaria por ser assassinado a tiro, enquanto discursava na varanda do Lorraine Motel.

“Foi traumático, porque depois de ser alvejado só se via sangue. Não conseguíamos mexer-nos, com toda a gente que estava à volta a tentar fotografar e a polícia a tentar investigar”, começa por revelar a mulher, que diz que ela e o irmão passaram perto de seis horas sentados no carro, sem conseguir reagir, após o incidente. O susto fê-los esquecer “da fome e do cansaço”.

“O nosso pai não parava de vir ao carro para perguntar como estávamos e a tentar manter-nos calmos. Mas ele não podia sair dali, porque estavam a interrogá-lo”, acrescenta, lembrando que a caminho de casa foram mandados parar várias vezes para serem identificados.

O momento, recorda, foi traumático, motivo pelo qual também quis tentar esquecê-lo e não o quis partilhar com o mundo. Lembra, porém, as últimas palavras do ativista, dirigidas ao seu pai: “Quero que toques o Precious Lord como nunca o fizeste antes. Toca-o de forma muito bonita”.

Segundo o Daily Mail, não há provas de que Rhonda e o irmão estivessem no local do crime naquele dia, mas existe uma fotografia em que o pai dos dois surge a ser interrogado pela polícia. (Notícias ao Minuto)

por Andrea Pinto

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »