Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Kendrick Lamar e o dia em que o Hip-Hop destronou os clássicos

Álbum DAMN. conquista prémio Pulitzer de Música, atribuído pela primeira vez a um trabalho que não nasce da Clássica ou do Jazz

DAMN. de Kendrick Lamar conquistou, na segunda-feira, o que poucos se atreveriam a adivinhar: o prémio Pulitzer na categoria Música. Nunca até hoje a distinção do que melhor se faz na América na área do jornalismo, da literatura e da música tinha sequer se aproximado do Hip-Hop.

Desde 1943, data em que os Pulitzer se estenderam à Música, os vencedores eram autores da Clássica ou do Jazz. Até ontem.

A “vitória” de Kendrick Lamar é um reflexo dos tempos modernos, mas é também um momento de consciência, que perturbou o júri pela sua densidade a diferentes níveis: letra e composição.

“Foi o momento certo”, justificou Dana Canedy, responsável pela atribuição dos Pulitzer e antiga galardoada, em declarações aos jornalistas depois de revelar os vencedores.

Temos muito orgulho na seleção que fizemos. Significa que o júri e o sistema de atribuição de prémios funcionaram como é suposto, ou seja, o melhor trabalho recebe o Pulitzer. DAMN. é uma luz sobre o Hip-Hop completamente diferente. É um grande momento para o Hip-Hop e um grande momento para os Pulitzers.”

Kendrick Lamar pode ter perdido o “álbum do ano” para Bruno Mars, mas na história ficará DAMN., o quarto trabalho de estúdio do rapper norte-americano e o terceiro consecutivo a lutar por um Grammy, por sinal um dos mais aclamados.

O rapper californiano, de 30 anos, ainda não se pronunciou sobre a conquista do Pulitzer, mas para o júri a decisão não poderia ter sido mais unânime. Mesmo que a maior parte dos elementos que o compõem sejam pouco conhecedores do trabalho de Kendrick Lamar.

Este trabalho é uma virtuosa coleção de canções, unificadas pela sua autenticidade vernacular e dinamismo rítmico, que, através de comoventes histórias, captam a complexidade da vida afro-americana moderna.” (TVI 24)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »