Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Milo Djukanovic confirmado como Presidente do Montenegro

O dirigente pró-ocidental Milo Djukanovic foi hoje confirmado vencedor da primeira volta das eleições presidenciais do Montenegro, realizadas no domingo, quando estão apurados 97,23% dos votos.

Segundo os resultados parciais da Comissão Eleitoral citados pela televisão pública montenegrina, Djukanovic, líder do Partido Democrático dos Socialistas (DPS), obteve 54,15%, sendo seguido pelo candidato da Frente Democrática Mladen Bojanic com 33,24% dos votos.

A primeira mulher da história do Montenegro a apresentar-se como candidata, a jurista Draginja Vuksanovic, do Partido Social-democrata (SDP), ficou em terceiro lugar com 8,15% dos votos. A adesão às urnas foi de 63,98%.

Cerca de 530.000 cidadãos foram chamados às urnas para eleger sete candidatos a Presidente em substituição de Filip Vujanovic, cujo mandato termina no próximo mês de maio.

Milo Djukanovic, ex-primeiro-ministro, ex-presidente e atual líder do Partido democrático dos socialistas (DPS, no poder), apresentava-se como favorito nas intenções de voto dos montenegrinos, segundo todas as sondagens.

Na breve campanha, de menos de um mês, o veterano político, um antigo aliado do líder sérvio Slobodan Milosevic no início da desintegração da Jugoslávia, e que agora conduziu o país na adesão à NATO e no caminho da UE, apresentou-se como o garante da estabilidade e do progresso do pequeno país balcânico de 620.000 habitantes.

Apesar de o cargo de presidente ser sobretudo protocolar, sem poderes executivos, Djukanovic, 56 anos e economista de formação, considerado o “pai da independência” do Montenegro em 2006, assegura que a vitória das oposições significaria um recuo na aposta euro-atlântica.

O Montenegro, país eslavo e ortodoxo, é membro da NATO desde 2017 e entre os países dos designados Balcãs ocidentais que negociam a adesão à União é o que regista mais progressos, de acordo com uma estratégia comunitária de fevereiro passado, onde se confirma a perspetiva de adesão para 2025.

No Montenegro existe um amplo consenso sobre o processo de adesão à UE, mas o ingresso na NATO suscitou profundas divisões no montanhoso Estado dos Balcãs.

As eleições de domingo são as terceiras presidenciais desde a independência do país. Djukanovic dirigiu quase sem interrupção do Montenegro durante 25 anos. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »