Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Militantes ocupam por horas apartamento no Guarujá atribuído a Lula

Militantes do Movimento de Trabalhadores Sem-Teto (MTST) e da Frente Povo Sem Medo invadiram por algumas horas, nesta segunda-feira (16), o tríplex no Guarujá, litoral paulista, que é atribuído ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso em Curitiba.

No começo da manhã, cerca de 30 integrantes dos dois movimentos ocuparam o apartamento e colaram cartazes na varanda contra sua prisão, em 7 de abril, por corrupção e lavagem de dinheiro.

“Não tem arrego. Ou solta o Lula ou não vai ter sossego”, gritavam os militantes.

“É uma denúncia da farsa judicial que levou Lula à prisão (…) Se o apartamento é do Lula, o povo foi convidado e pode ficar lá. Se não é do Lula, o Judiciário vai ter que explicar por que é que prenderam o Lula por conta desse tríplex”, argumentou o coordenador do MTST e pré-candidato à Presidência Guilherme Boulos no Twitter.

Poucas horas depois, os militantes deixaram o apartamento após sofrerem ameaças de prisão da polícia, “numa ação arbitrária, sem ordem judicial”, denunciou Boulos.

A senadora Gleisi Hoffmann, presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) disse à AFP que a invasão foi “um gesto politico mesmo que coloca em questionamento a tese do juiz Sérgio Moro de que o apartamento é do presidente Lula”.

– Expectativas e temores –

Lula está preso na sede da Polícia Federal em Curitiba, acusado de ter recebido este apartamento da construtora OAS em troca de favorecimento dentro da Petrobras.

O ex-presidente, réu em outros seis casos, nega que o apartamento seja seu e critica a condenação, que ele diz ser “sem provas”.

Hoffmann, que está em Curitiba como parte do dispositivo político montado pelo PT para ficar perto de Lula, disse que as expectativas para o processo no Supremo Tribunal Federal (STF) para discutir a constitucionalidade da prisão de condenados em segunda instância, como Lula, são moderadas.

“Nossa expectativa é que o STF cumpra o seu papel de defensor da Constituição e restabeleça o que a Constituição diz em termos de execução de sentença: que só pode ser executada após o transito em julgado”, afirmou.

Hoffmann explicou que ainda não viu Lula desde sua prisão, mas trocou mensagens por meio de seus advogados.

“A nossa preocupação é que ele está muito sozinho. Por exemplo agora, este sábado e domingo, não foi permitido que ninguém o visitasse, nem o pessoal da área jurídica. A gente tem preocupação que ele possa ter uma depressão, ficar doente”, explicou. (Afp)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »