Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Professores põem fim à greve

A greve dos professores do ensino não universitário terminou ontem com a assinatura de um memorando de entendimento entre o Governo e Sindicato Nacional dos Professores (SINPROF).

A partir de segunda-feira, os alunos voltam à escola em todo o país. A greve, que afectou o curso normal das actividades lectivas, levou o Ministério da Educação a alterar o programa. Assim, as provas de professores vão realizar-se de 30 de Abril a 11 de Maio, sem interrupção das aulas.

Durante as negociações, as partes aprovaram um cronograma de seis acções, assinado pelos secretários de Estado do Ministério da Administração Pública, Trabalho e Segurança Social, António Afonso, e da Educação, Joaquim Cabral e pela representante do Sinprof, Hermínia do Nascimento.

O documento refere que o Ministério da Educação atribui três por cento de diurnidade a todos os professores com mais de cinco anos de serviço e faz a alteração do vínculo provisório para o quadro definitivo de todos os docentes com igual período de trabalho.

As partes chegaram a consenso sobre o Estatuto da Carreira Docente, Regime Jurídico de Avaliação de Desempenho de Agentes de Educação. Nesta senda, o estatuto deve ser aprovado até 31 de Maio e publicado em Diário da República no mês de Junho, devendo entrar em vigor em Setembro.

O Governo prometeu implementar em Setembro a actualizaçao de categoria dos professores, em simultâneo com o novo Estatuto. As faltas aplicadas aos professores no período da greve (9 a 13 de Abril), ficam anuladas.

O presidente do Sinprof, Guilherme Silva, disse à imprensa que a Comissão de Crise, criada pelo Governo, está
empenhada em resolver as questões apresentadas pelos professores, fundamentalmente o Estatuto da Carreira Docente.

O líder sindical acrescentou que os professores que melhoraram o perfil académico e profissional, agora já licenciados e mestres, vão passar para o novo Estatuto da Carreira a ser aprovado pelo Conselho de Ministros, no próximo mês.

O processo vai ser gradual para os professores licenciados, devendo começar este mês de Abril a fase de cálculos.
“Veremos, primeiro, a aprovação do Estatuto e publicação em Diário da República”, acentuou, explicando que o que se tratou não foi o aumento salarial, mas a actualização de categoria dos professores.

O coordenador das negociações pela parte do Ministério da Educação, Isaac Paxe, afirmou que “o Ministério da Educação tem responsabilidades, por isso mostrou predisposição para a solução dos 14 pontos que constavam do caderno reivindicativo”.

“Chegou-se a um acordo porque muitos dos pontos do caderno reivindicativo constam do programa do Governo”, disse Isaac Paxe, também director nacional de Formação de Quadros do Ministério da Educação.

Sublinhou que o Ministério da Educação tem o compromisso de trabalhar com o Sinprof e estabelecer os pontos comuns para a solução dos problemas dos professores.

O caderno reivindicativo, que deu origem à terceira fase da greve nacional, tinha sido enviado ao Ministério da Educação em 2013. (Jornal de Angola)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »