Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

“Mortos e feridos” em ataque com mísseis contra aeroporto militar sírio

Várias pessoas morreram e outras ficaram feridas num ataque com mísseis contra o aeroporto militar sírio de Al Taifur, na província de Homs, informou hoje a agência oficial de notícias do país, SANA.

“Mortos e feridos num ataque com mísseis contra o aeroporto de Taifur. Os equipamentos de defesa aérea pararam o ataque, mas caíram vários mísseis”, assegurou uma fonte militar citada pela SANA que, inicialmente, atribuiu as suspeitas do ataque aos Estados Unidos da América (EUA).

A agência noticiosa não precisou o número de vítimas, adiantando, contudo, que oito mísseis foram lançados contra as instalações militares.

Em 18 de fevereiro, aviões israelitas atacaram este mesmo aeroporto onde, segundo o Observatório Sírio para os Direitos Humanos, se concentram forças do regime sírio, iraniano e do grupo libanês Hezbollah.

Então, a agência estatal da Síria identificou o “inimigo Israel” como o responsável do ataque durante o qual um avião foi atingido pelo sistema de defesa aérea, acrescenta a agência Efe.

A agência SANA anunciou hoje que “numerosos mísseis atingiram o aeroporto de Tayfur”, acrescentando que “suspeita-se de um ataque norte-americano”.

Posteriormente, a SANA retirou qualquer referência a uma eventual autoria norte-americana, tendo o Pentágono garantido que os EUA não foram responsáveis pelos ataques aéreos.

O atentado à infraestrutura militar ocorreu depois de o Presidente norte-americano ter condenado o alegado ataque químico à cidade de Douma, em Ghouta Oriental, perto de Damasco, que fez no sábado dezenas de vítimas.

Os Capacetes Brancos, socorristas em zonas rebeldes, um grupo rebelde e a oposição no exílio acusaram o regime sírio de ser o autor.

“A zona das atrocidades está confinada e cercada pelo exército sírio, tornando-a completamente inacessível ao resto do mundo. O Presidente Putin, a Rússia e o Irão são responsáveis pelo seu apoio ao animal Assad. É preciso pagar um preço alto”, disse no domingo o Presidente norte-americano, Donald Trump, sem precisar quem tem de pagar o preço e que preço será esse.

O Governo sírio e os seus apoiantes, nomeadamente a Rússia e o Irão, desmentiram a responsabilidade das forças governamentais.

Entretanto, os presidentes dos EUA e da França, Emmanuel Macron, abordaram o assunto telefonicamente e “decidiram coordenar as suas ações e iniciativas no seio do Conselho de Segurança das Nações Unidas” que deverá reunir-se hoje em Nova Iorque.

Nove países pediram uma reunião de emergência do Conselho de Segurança da ONU, sobre o presumível ataque químico.

O pedido foi assinado por França, Estados Unidos, Reino Unido, Koweit, Suécia, Polónia, Peru, Holanda e Costa do Marfim, precisaram as mesmas fontes. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »