Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Presidente namibiano adverte chineses para não tentarem corromper os seus ministros

Com uma população de expatriados chineses em constante crescimento no seu país, onde se estima existirem mais de mil empresários e pelo menos 40 mil trabalhadores, o Presidente da Namíbia acaba de lançar uma severa advertência aos cidadãos chineses para não tentarem corromper os membros da administração pública, incluindo ministros.

Ao mesmo tempo, Hage Geingob, que se encontra na China em visita oficial, alertou, no mesmo sentido, para que os empresários chineses com negócios na Namíbia, para não aceitarem convites à corrupção pelos membros do seu Governo.

O aviso foi lançado durante uma conferência que Geingob assistiu, e onde interveio, dedicada às relações empresariais entre os dois países, em Pequim.

“Nós queremos fazer negócios limpos porque só assim é possível criar situações onde ambas as partes ganham – “win-win situations” -, e, por isso, não podemos aceitar quaisquer interferências da corrupção”, disse o Presidente namibiano na mesma ocasião.

A Namíbia, tal como outros países africanos, incluindo Angola, viu crescer enormemente a comunidade chinesa e o volume de negócios entre os dois países, estimando-se, embora os números possam divergir em função das fontes consultadas, que são mais de 40 mil os trabalhadores indiferenciados no país vizinho do sul de Angola e acima de um milhar os empresários chineses ali estabelecidos.

Mas, apesar destes avisos, Geingob foi claro ao afirmar que a Namíbia optou claramente pelo estreitamento dos laços com a China – em detrimento de outros países mas sem especificar – porque “acredita que dessa forma obtém melhores negócios”.

“Queremos planos concretos para o futuro”, disse Hage Geingob, que, segundo o The Namibian, há alguns anos, quando era primeiro-ministro, numa deslocação à China foi surpreendido por ofertas de dinheiro feitas por “algumas pessoas”, que o jornal indica terem sido empresários chineses, sem que alguma vez o próprio tenha indicado quem ou para quê.

“Eu devolvi o dinheiro que me foi oferecido. Nunca pedi um cêntimo a ninguém”, disse Geingob, citado pelo jornal namibiano, que acrescenta tal ter acontecido durante a referida visita à China em 2014.

Um dos porta-vozes do Governo namibiano tornou pública uma conversa mantido entre Hage Geingob e o Presidente chinês, Xi Jinping, onde estes terão acordado combater de forma eficaz à corrupção porque “só dessa forma é possível construir uma relação de confiança”.

Outra questão que os dois Presidentes mostraram estar em acordo é o combate à caça furtiva e ao negócio ilegal e tráfico de chifres de rinoceronte e presas de elefante, actividade que tem levado vários cidadãos chineses à cadeia na Namíbia nos últimos anos, ou ainda a fuga ao fisco, outro factor que tem colocado chineses a conta com a justiça namibiana. (Novo Jornal Online)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »