Radio Calema
InicioAngolaSociedadeMulher morre depois de receber injecções de gordura de jibóia, na Huíla

Mulher morre depois de receber injecções de gordura de jibóia, na Huíla

Uma mulher de 58 anos morreu na manhã de terça-feira, 20, depois de lhe terem sido administradas duas injecções de gordura de óleo de jibóia, no município de Chipindo, 456 quilómetros a Norte do Lubango.

De acordo com o superintendente-chefe Carlos Alberto, da Polícia Nacional (PN) na Huíla, as injecções terão sido administradas por um falso enfermeiro que está agora a monte.

“A motivação do crime ocorreu quando o falso enfermeiro, ou “curandeiro”, convenceu a vítima de que haveria de tratar com eficiência a malária que a apoquentava há mais de dois anos”.

A vítima, segundo o porta-voz da Polícia Nacional na Huíla, faleceu na casa do suposto acusado.

“Ela, nesse dia, estava a sair da lavra e decidiu passar na casa do acusado. O suspeito foi buscar duas seringas que se encontravam por cima do tecto da sua residência e convenceu a vítima de que poderia curá-la”, explicou, sublinhando que “o curandeiro mandou a senhora baixar os panos e aplicou-lhe as injecções”.

“Hora e meia depois de ter aplicado as duas injecções com o produto, a paciente começou a ter complicações e acabou por falecer. O homem, quando notou que a senhora estava a convulsionar e a espumar pela boca, meteu-se em fuga”, referiu ainda o superintendente-chefe Carlos Alberto.

Carlos Alberto fez saber ainda que os efectivos do Serviço de Investigação Criminal (SIC) estão a fazer diligências naquela localidade com o fito de capturar o indivíduo.

“Tão logo fizermos a detenção do suposto acusado, o SIC vai encaminhar o processo-crime ao Ministério Público para que o falso enfermeiro responda pelo crime de homicídio doloso”, finalizou. (Novo Jornal Online)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.