Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Congresso dos EUA fecha acordo para evitar paralisia do governo

Os líderes democratas e republicanos do Congresso dos Estados Unidos anunciaram nesta quarta-feira um acordo para financiar o estado federal até o fim do ano orçamentário de 2018, evitando assim a paralisação do governo.

Os negociadores republicanos publicaram na noite desta quarta-feira, dois dias antes do chamado “shutdown”, um longo texto obtido após semanas de duras negociações.

O acordo prevê elevar o gasto militar a 700 biliões de dólares, e o restante dos gastos correntes a 591 biliões de dólares, para o ano fiscal que termina no próximo dia 30 de setembro.

O Pentágono tem assim sua maior alta no orçamento em 15 anos, uma vitória dos republicanos destacada pelo presidente da Câmara, Paul Ryan.

O Congresso dispõe agora de dois dias, até a meia-noite de sexta-feira, para adotar o texto e evitar a paralisação da administração pública. A Câmara votará antes do Senado.

Republicanos e democratas foram obrigados a abrir mão de algumas de suas prioridades.

O compromisso alcançado finalmente inclui apenas 641 milhões de dólares para a construção de 50 km de barreiras na fronteira com o México, destacaram os democratas, que avaliam ter barrado o plano do presidente Donald Trump de construir o muro.

O acordo estipula que as novas barreiras na fronteira devem ser similares às já construídas, o que exclui o muro de cimento planejado por Trump.

Mas o texto também não prevê qualquer medida de regularização para os jovens imigrantes em situação ilegal nos Estados Unidos, como defendiam os democratas.

Um artigo que reformula o sistema de verificação dos antecedentes criminais e psiquiátricos dos compradores de armas foi incluído e, eliminada a proibição de investigações federais sobre incidentes violentos com armas de fogo, outra velha reivindicação dos democratas.

Centenas de milhões de dólares suplementares foram desbloqueados para o FBI combater os ciberataques russos e para que os Estados se defendam melhor dos hackers.

“Cada lei exige concessões, e aqui ocorreram muitas, mas os democratas estão satisfeitos, já que várias de nossas prioridades para a classe média foram atendidas”, destacou o líder da minoria no Senado, Chuck Schumer.

“Esta lei nos permite cumprir com nossa promessa de reconstruir o Exército dos Estados Unidos”, declarou o presidente da Câmara, Paul Ryan.

Já os ultraconservadores da Câmara anunciaram que não aprovarão o texto acertado, do mesmo modo que alguns democratas, por razões diversas.

“Estamos aprofundando a quebra do país”, protestou o deputado republicano do Tea Party Justin Amash em entrevista à Fox News.

“Sou contra porque rejeito as expulsões contínuas de imigrantes e de suas famílias, que mantêm cidades como a minha, Chicago”, declarou o democrata Luis Gutiérrez. (AFP)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »