Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Ministra informa haver verbas para as obras do hospital regional

O programa de investimentos públicos (Pip) do Ministério da Saúde para 2018 reserva verbas para a continuidade das obras de construção do hospital regional do Zaire, em Mbanza Kongo, iniciadas em 2014, garantiu terça-feira, nesta cidade, a ministra, Sílvia Lutucuta.

Em declarações à imprensa, no final da sua visita de trabalho de 48 horas a província, a governante reconheceu que esta infra-estrutura, que terá a capacidade de 400 camas, com grandes valências assistenciais, faz falta à região e as províncias limítrofes.

Sílvia Lutucuta considerou que o grande desafio será a componente dos recursos humanos que vão garantir o funcionamento desta unidade sanitária, daí ter avançado a possibilidade de se recorrer à cooperação estrangeira.

“Temos um concurso público este ano para o recrutamento de novos profissionais, mas não vai resolver, em grande medida, o problema desta unidade que se quer venha a ser de referência a nível do país e que precisará de especialistas”, fundamentou.

O futuro hospital regional do Zaire, cuja execução física está estimada acima de 80 porcento, ocupa uma área total de 27 mil metros quadrados, sendo 12 mil metros quadrados a área construída.

A infra-estrutura de dois pisos terá, entre outras valências, 18 laboratórios de especialidades, nove blocos operatórios, diversas estruturas acopladas e prestará serviços médicos diversificados.

O empreendimento hospitalar contempla também, nas suas estruturas e serviços, uma pediatria independente, um centro de treinamento com 20 salas de aulas, albergues para médicos e dois edifícios para acolher acompanhantes de doentes.

A ministra da saúde trabalhou nos municípios do Soyo, Mbanza Kongo e Tomboco onde constatou o funcionamento do sector que dirige. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »