Radio Calema
InicioMundo LusófonoMoçambiqueGoverno de Moçambique quer pagar metade da dívida

Governo de Moçambique quer pagar metade da dívida

O Governo de Moçambique apresentou aos credores e investidores na dívida pública em Londres um perdão de 50% da dívida.

A proposta de Maputo é pagar 318 dos 636 milhões de dólares de dívida que já devia ter sido paga.

Na reunião mantida na capital britânica realizada a portas-fechadas, o ministro das Finanças Adriano Maleiane defendeu três opções, alargando a maturidade em oito, 12 ou 16 anos.

Aúltima será paga duas vezes por ano um cupão de 2% até ao quinto ano, e depois um de 3% entre o quinto e o décimo ano, que sobe para 6% a partir desse ano.

O Governo moçambicano procura suavizar as prestações da dívida nos próximos anos e pagar mais no final do período, altura em que as receitas do gás serão consideráveis.

Aliás, num dos documentos apresentados a que a VOA teve acesso, o Governo indicou os resultados esperados da exploração de gás.

O documento também indica, em quadros, as recomendações do Fundo Monetário Internacional e as medidas tomadas pelo Governo.

Entretanto, antes do início que acontece à porta fechada, Phillip Blackwoo,director da EM Quest Ltd, que assessora a Sydbank nos seus activos de mercados emergentes, incluindo títulos moçambicanos, disse à agência Bloomberg que não tinha expectativas definidas.

Entre 2013 e 2014, as empresas Ematum, ProIndicus e Mam, contraíram, de forma ilegal, dívidas no valor de dois mil milhões de dólares.

O destino da maior parte do dinheiro continua por apurar, com as empresas a justificarem que se trata de matéria de segurança nacional.

O FMI, o Banco Mundial e vários países suspenderam desde 2016 a ajuda orçamental a Moçambique, até que o Governo esclareça esse processo. (Voa)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.