Radio Calema
InicioDestaquesIsabel dos Santos sai em defesa de ex-PR angolano e critica Jornal...

Isabel dos Santos sai em defesa de ex-PR angolano e critica Jornal de Angola

Isabel dos Santos, filha do ex-Presidente angolano, acusa o Jornal de Angola de “manter os angolanos mal informados”, respondendo às notícias sobre uma rejeição da proposta de José Eduardo dos Santos.

A empresária Isabel dos Santos, filha do ex-Presidente angolano, acusa o Jornal de Angola (estatal) de “manter os angolanos mal informados”, respondendo às notícias sobre uma rejeição da proposta de José Eduardo dos Santos, na transição na liderança do MPLA.

Isabel dos Santos, exonerada em novembro, pelo novo Presidente da República, João Lourenço, do cargo de presidente do conselho de administração da petrolífera Sonangol, usou este sábado as redes sociais para criticar a manchete do Jornal de Angola, que refere que o “Comité Central do MPLA rejeita proposta do líder [José Eduardo dos Santos]”, de um congresso extraordinário sobre a transição da liderança do partido apenas em dezembro ou abril de 2018.

“Afinal, é-nos apresentada mais uma mentira do Jornal de Angola! Até quando o diretor do Jornal de Angola, o senhor Vítor Silva, vai insistir em manter os angolanos mal informados? O Jornal de Angola é dos angolanos, os salários e papel para imprimir o Jornal de Angola são pagos com os impostos do cidadão. A informação tem que vir correta, factual e imparcial”, escreveu este sábado Isabel dos Santos, filha de José Eduardo dos Santos.

“Estão a tirar a credibilidade do Jornal de Angola. Até quando vai continuar essa desinformação? Sensacionalismos não! Verdades e factos sim”, defende a empresária, que volta desta forma a atacar o diário estatal, à semelhança do que já tinha acontecido em 2017, sobre a publicação, por aquele jornal, de editoriais arrasadores para a sua gestão de 17 meses na Sonangol.

Ainda este sábado mesmo, o porta-voz do MPLA negou, em Luanda, que tenha sido rejeitada a proposta apresentada pelo líder do partido no poder em Angola, para a realização de um congresso extraordinário sobre a transição da liderança do partido.

Norberto Garcia reagia a notícias divulgadas, sexta-feira, depois de o presidente do Movimento Popular de Libertação de Angola (MPLA), José Eduardo dos Santos, ter proposto a realização de um congresso extraordinário para dezembro deste ano ou abril de 2019.

O anúncio foi feito na abertura da 5.ª sessão ordinária do Comité Central do MPLA, tendo no comunicado final sido informado que terão lugar, este ano, duas reuniões de reflexão sobre a proposta apresentada, a primeira, em abril, pelo Bureau Político e a segunda, em maio, pelo Comité Central.

Segundo o secretário para a Informação do Bureau Político do MPLA, não houve rejeição da proposta do líder, mas sim um “melhoramento” da mesma.

“Estamos a evoluir positivamente, estamos a trabalhar com bastante harmonia e coesão, é evidente que há situações que, em sede das quais, poderá haver uma abordagem mais crítica, menos crítica, o que é normal, estamos em democracia e é isso que nós queremos, um partido cada vez mais democrático, cada vez mais aberto”, disse.

“Discussões houve e houve várias propostas, que não foi só esta. A verdade verdadeira é que perante o facto de ter havido discussão, desta discussão resultou aquilo que nós colocamos no comunicado final”, salientou.

Nos últimos tempos têm crescido os comentários na sociedade angolana sobre a existência de uma suposta bicefalia entre o chefe de Estado angolano e vice-presidente do MPLA, João Lourenço, e o líder do partido, José Eduardo dos Santos, onde se incluem críticas internas sobre a situação.

José Eduardo dos Santos, líder do MPLA desde 1979, anunciou em 2016, que este ano deveria deixar a vida política ativa, sendo esta a primeira vez que se pronunciou sobre o assunto, propondo que o congresso extraordinário seja realizado em dezembro deste ano ou abril de 2019, sem adiantar mais pormenores sobre este processo. (Observador)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

3 COMENTÁRIOS

  1. Sem dúvida, a notícia do Jornal de Angola é tendenciosa, só vem confundir as coisas no sentido de manipular os incautos e denegrir a imagem do Zé Du, revelando com isso a subserviência/servilismo do actual director Vitor Silva e, concomitantemente o Ministro da Propaganda João Melo, com o Jlo.

  2. Angola precisa de Paz efectiva. Os caminhos a seguir são muitos. Mas tantos mujimbos e intrigas palacianas que não levam a nada. Não vejo ninguém preocupado em fazer por exemplo um grande Acordo com a Bill Gates Foundation para projectos de desenvolvimento em Angola ou outras Fundações e Empresas no mundo da área da Saúde, do combate à Malária, à Tuberculose, Planos Directores Municipais credíveis, uma acentuada formação de bons Magistrados e Advogados, bons Médicos, bons Hospitais ou um Serviço Nacional de Saúde de Angola. Não vejo a criação de novas centralidades urbanas baseadas em construções de qualidade para o Povo que é a razão de ser do Povo. Das duas uma: ou se cria uma Comissão de Reconciliação e Verdade Independente e séria para averiguar o que se passou ao longo destes anos, incluindo a questão dos dinheiros públicos ou passamos a vida nestas histórias de quintal de conversas de fim de semana sem um Olhar profundo sobre o País. Porque permanecem os Musseques no estado em que estão ? Porquê? Porque não adjudicam um Concurso Internacional ou por adjudicação directa a uma Alemanha para erradicar a forma triste e miserável em que se encontram as populações suburbanas visto viverem nas condições em que vivem? Olhem o país a 30 anos. Recuperem o tempo perdido. Recentemente em declarações públicas o Procurador Geral da República disse que não tinha Procuradores suficientemente bem preparados e havia ausência de quadros qualificados. Então preparem. Quem tirou dinheiro indevido ao Estado que aplique no País seja em forma de construção de Universidades, Escolas Públicas bem feitas, Centro de Investigação e deixe apenas de pensar no dinheiro para fins estritamente pessoais. Não se enriquece em tempo de Guerra. E em tempos de Paz ao Estado e à Sociedade cabe gerar mecanismo de prevenção e justos salários para que as pessoas vivam com Dignidade. Chega de tanta hipocrisia. Mas que herança colonial e pós-colonial o Povo angolano herdou. Eliminem ódio. Cultivem a diferença. Mudem de mentalidades. E pensem grande, mas com sustentabilidade. Nós morremos e o kitari fica cá. Ou têm dúvidas ? Frederico Assis Jr

  3. Muita gente serviu-se do Presidente José Eduardo dos Santos. Gravitou ao volta do mesmo, omitindo, mentindo, ocultando. É ele o único ” culpado ” do Estado do País? E os demais Membros do Comité Central e do Bureau Político como enriqueceram? Foi a trabalhar honestamente? Não. Não foi. Porquê que os Consultores não avisam ao Senhor Presidente da República o que se passava sobre o verdadeiro Estado Social da Nação quando a Guerra acabou ? Os bilioes que estão fora de Angola a quem servem ? Os demandos financeiros nas Embaixadas e Consulados foram mais que muitos e ninguém dizia nada. O que se fez aos Doentes em Portugal durante anos é da responsabilidade do Presidente José Eduardo dos Santos quando existiam Ministros e responsáveis pela Saúde ? A Embaixada de Angola em Lisboa por exemplo foi o escândalo do dinheiros pagos a Empresas portuguesas com ligações a Ministros e a Ministras. Haja seriedade. Quando o Presidente José Eduardo dos santos quis exonerar à Senhora Cônsul anterior de Angola em Portugal, o actual Cônsul teve que esperar quase um ano para tomar posse porque a Senhora entendia que não queria sair. O anúncio de Despedimento Colectivo em cerca de 30% de Funcionários da Embaixada de Angola só acontece porque houve desvio de milhares e cumplicidades várias entre vários sectores. A culpa também é do Presidente José Eduardo dos Santos ? O Hotel em Sesimbra comprado pelo Senhor General Higino Carneiro é culpa do Presidente José Eduardo dos Santos ? O comportamento do antigo Director Jornal de Angola era culpa de quem? De Aldemiro Vaz da Conceição ou do Presidente da República? Como enriqueceram todos os Membros do Bureau Político do MPLA e também da UNITA ? Como é que a UNITA explica as contas em Lisboa, Paris, Bruxelas, Rabat e outras alianças? O antigo Embaixador Adriano Parreira agora serve de denunciador ao DCIAP em Lisboa, mas porque não explica a vida faustosa que fazia na Suíça? Um paradoxo. Nomeia-se para o Reino de Espanha, o antigo Ministro da Comunicação Social José Luís de Matos. Qual a experiência diplomática de José Luís de Matos? Que inovações fez José Luís de Matos quando foi Ministro da Comunicação Social e quem indicou o nome do mesmo ? O antigo Governador do Bengo o que fez em termos de desenvolvimento pelo Bengo ? Foi Ministro das Relações Exteriores no tempo do Presidente José Eduardo dos Santos e agora volta a Embaixador em França ? Isto é uma brincadeira. Não há seriedade. Há uma enorme promiscuidade. Todos que tiveram responsabilidades de decisão política, económica e securitária, foram culpados do Estado actual da Nação. Façam mea culpa e recuem. Nomeações sem mérito porque é da UNITA. Porque é do MPLA. BASTA. Façam nomeações por competência e por mérito. E deixem de perseguir pessoas e peçam Perdão ao Povo angolano. Tanta luta, tanto sangue perdido, tantas vidas ceifadas para agora estarmos neste estado de coisas? Haja SERIEDADE. Haja HONESTIDADE. É uma vergonha o que se está a passar. O Canal público coloque frente a frente Carlos Saturnino, o actual PCA da Sonangol e a Enngª Isabel dos Santos num debate para a nação ouvir e que cada um tire as suas conclusões. É o mais puro acto de transparência. Façam isso. Sendo a Comunicação plural promovam o contraditório num Debate televisivo. A Nação ficava a ganhar com esta lavagem de roupa suja. Frederico Assis Jr

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.