Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Parlamento chinês elege Xi para segundo mandato

Xi Jinping foi reeleito neste sábado como presidente da China, para um segundo mandato de cinco anos, com o voto unânime dos delegados.

Menos de uma semana após conseguir uma reforma constitucional que lhe permitirá se reeleger indefinidamente, Xi Jinping, de 64 anos, obteve o voto dos cerca de 3 mil delegados presentes na sessão anual da Assembleia Nacional Popular (ANP).

Xi Jinping se torna assim o presidente chinês com o maior poder em quase três décadas e terá condições de permanecer no comando do país além do período do actual mandato, que termina em 2023.

No domingo passado, a ANP emendou a Constituição que estabelecia um limite de dois mandatos presidenciais de cinco anos cada.

A emenda também introduziu na Constituição o “Pensamento Xi Jinping” e, em seu artigo primeiro, o “papel dirigente” do Partido Comunista Chinês (PCC).

Diante da reeleição certa de Xi pela Assembleia Nacional Popular, controlada pelo Partido Comunista, as expectativas recaíam sobre se seu ex-responsável pela luta contra a corrupção Wang Qishan ocuparia a vice-presidência, o que de fato ocorreu.

Wang obteve 2.969 votos a favor e apenas um contrário.

Com Wang como vice-presidente, Xi ganha um aliado formidável para cimentar sua autoridade, no momento em que caminha para se tornar o líder chinês mais poderoso desde Mao Tsé-Tung (1949-1976).

Wang, 69 anos, é conhecido internacionalmente por seu trabalho como representante comercial da China e os analistas acreditam que ajudará Xi a administrar as relações com os Estados Unidos, cada vez mais tensas diante da ameaça de uma guerra comercial, agravada com a recente decisão do presidente Donald Trump de tarifar as importações de alumínio e aço.

O novo braço direito de Xi liderou a cruzada contra a corrupção na China, ao presidir a Comissão Central de Inspecção Disciplinar, que puniu 1,5 milhão de funcionários públicos nos últimos cinco anos, desde pequenos quadros até líderes regionais e generais.

Wang substituirá Li Yuanchao, um político relativamente modesto.

Segundo Hua Po, um especialista em política chinesa, Wang tem “talento e capacidade” e sua eleição como vice-presidente está “orientada em consolidar seu poder”.

“Xi já é um homem muito poderoso. O problema é que tem pouca gente que lhe seja leal e competente. Então precisa conservar Wang para ter tempo para cultivar mais gente de talento”, avaliou Hua. (Afp)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »