Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Quatro trabalhadores humanitários mortos pelo Boko Haram na Nigéria

Quatro funcionários nigerianos de organizações humanitárias internacionais foram mortos num ataque perpetrado pelo grupo islamita armado Boko Haram na cidade de Rann, no nordeste da Nigéria, indicou hoje uma porta-voz da ONU.

Em declarações à agência noticiosa France-Presse (AFP), Samantha Newport precisou que o ataque ocorreu na noite de quinta-feira, em que, além das quatro vítimas, um outro funcionário humanitário ficou ferido e outro ainda está desaparecido, tudo levando a crer que tenha sido raptado.

Entre as vítimas estão dois funcionários da Organização Mundial das Migrações (OIM), que trabalhavam na gestão de um centro de deslocados, bem como um médico ligado ao Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Sobre a quarta vítima mortal desconhecem-se ainda pormenores, bem como sobre a pessoa ferida e a desaparecida, ambas mulheres.

O ataque ocorreu no exterior do centro de deslocados de Rann, próximo de uma base militar nigeriana, que foi também visada pelos ‘jihadistas’, acrescentou Samantha Newport.

“O alvo era a base militar. As vítimas foram apanhadas no meio dos confrontos”, frisou.

Fontes oficiosas dão conta de que oito soldados do exército nigeriano foram mortos, mas nenhuma fonte oficial as confirmou.

Em setembro de 2017, combatentes do Boko Haram assassinaram nove deslocados no centro de deslocados de Rann, situado a 175 quilómetros da capital do Estado de Borno, Maiduguru, que trabalhavam na periferia da cidade.

Antes, em janeiro do mesmo ano, pelo menos 112 pessoas morreram na mesma cidade na sequência de um ataque da força aérea nigeriana que visava destruir bases dos ‘jihadistas’.

O ataque atingiu, “por erro”, um grupo de deslocados em plena distribuição de alimentos e medicamentos. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Translate »