Radio Calema
InicioMundoÁfricaNenhum país africano erradicará a fome até 2030 - revista Nature

Nenhum país africano erradicará a fome até 2030 – revista Nature

Nenhum país do continente africano cumprirá o objetivo da ONU de acabar com a fome até 2030, de acordo com um estudo publicado hoje na revista Nature.

O estudo revela dois mapas que permitem analisar o impacto da desnutrição e do analfabetismo na população africana, com o objetivo de ajudar a identificar as regiões onde os objetivos de desenvolvimento não estão a ser cumpridos.

Os mapas revelam que a maioria dos países africanos, especialmente os da África Subsaariana, apresentam uma melhoria de nutrição ao longo dos 15 anos investigados (entre 2000 e 2015), embora as disparidades individuais entre os países continuem.

Os autores verificam que as regiões com um crescimento mais lento, como o Chade ou a Somália, receberam menos ajuda internacional e sofreram conflitos de longo prazo.

É apontado no estudo que a Educação é uma das chaves para o desenvolvimento de uma sociedade e que está associada ao aumento do capital humano e social, igualdade de género e soluções de saúde para as mulheres.

O artigo lembra que a desnutrição pode causar problemas de crescimento, atrofia e perda de peso abaixo dos níveis saudáveis, mas que “nenhum país do continente alcançará o objetivo da ONU de erradicar a fome e má nutrição até 2030”.

Num artigo também publicado na revista Nature, que acompanha o estudo, o ex-secretário geral da ONU, Kofi Annan, enfatizou o progresso revelado pelos mapas ao longo do tempo, apesar das grandes diferenças entre os países africanos.

“Este tipo de informação pode consciencializar governos e agências internacionais sobre quais os países que mais precisam de recursos”, disse Annan. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.