Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Chuva em Luanda causa mais três mortes

A chuva que caí em Luanda desde a madrugada de hoje, quarta-feira, causou a morte de três crianças, até ao momento, em consequência das inundações e o desabamento de residências, segundo dados provisórios do Bombeiros.

Milhares de residência em todos os municípios foram inundadas, quedas de árvores, entre elas um imbomdeiro, numa residência no Cazenga.

O governador de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho, está a constatar as consequências da chuva a nível da província desde as primeiras horas.

Adriano Mendes de Carvalho considerou de crítica a situação da rua da Brigada, as do Sambizanga, Cazenga e Viana, na Comarca, tendo apelado os munícipes a manterem a calma, prevenindo os pais e encarregados de educação a cuidarem das crianças, evitando os banhos e brincadeiras nas bacias de retenção.

A chuva paralisou o trânsito em alguns pontos da cidade capital, devido a degradação das vias secundárias e terciárias, no interior dos bairros e a inoperância dos sistemas de esgotos.

De acordo com informações da Unidade de Trânsito a que a Angop teve acesso, regista-se a avaria de viaturas nas avenidas 21 de Janeiro, Deolinda Rodrigues, Ngola Kiluange, kima Kienda, da Brigada, Direita da Samba e na EN 230 ao Norte, Nordeste e Sudoeste.

A está situação, junta-se a existência de buracos e poças de água junto a Comarca de Viana, onde o nível da água cobriu o separador da avenida principal, tendo obrigado os automobilistas a pararem a marcha e a aguardar que a situação se normalizasse.

Segundo relatos de moradores 10 famílias estão ao relento no bairro do Tunga Ngo, no distrito urbano do Rangel, situação que mereceu a atenção do governador de Luanda, Adriano Mendes de Carvalho.

No Distrito do Talatona de acordo com o seu administrador, José Israel, o cenário não foge aos dos demais bairros: ruas e casas inundadas, sendo que a maior preocupação daquela autoridade prende-se com os mais de 70 moradores que vivem na margem do rio Cambamba, onde a tendência, nesta altura chuvosa, é subir os níveis de água.

Quanto a bacia de retenção do Talatona, o administrador informou que o trabalho de bombagem terminou terça-feira (27), tendo acrescentado que o transbordo, na semana passada, deveu-se a um curto-circuito nas máquinas de bombagem.

No bairro da baixa Vidrul, periferia do município de Cacacuo, os moradores vivem um martírio para chegarem a estrada principal, devido a força da água.

Nesta localidade, centenas de casas foram inundadas, deixando os moradores sem os seus haveres.

O administrador municipal Belas, Mateus da Costa, informou que a parte crítica regista-se no KK500 onde os edifícios continuam imersos devido ao aumento do volume de água depois da enxurrada, assim como os bairros Mundial e das Salinas onde centenas de casas encontram-se imersas, deixando ao relento às famílias.

Os automobilistas encontraram grandes constrangimentos na entrada Pedro de Castro, zona do Largo da Independência (Deolinda Rodrigues), junto ao antigo mercado do Roque Santeiro e Colégio Sacreberto (EN100 Norte), Fidel de Castro (entrada da Centralidade do Kilamba, passando pelo supermercado Kero). Cavalo Branco, Mama Gorda, km 12 (EN 230), Lar do Patriota/Ponte Molhada, Zango/Viana (vila) entre outras.

Indicadores do Instituto Nacional de Meteorologia e Geofísica ( Inamet), aponta para a continuidade das chuvas, durante todo dia de hoje, quarta-feira, até às 19 horas, com algum abrandamento. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »