Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Plantas terrestres surgiram 80 milhões de anos mais cedo do que se pensava

Um novo estudo indica que as plantas apareceram na terra muito antes do que o consenso na comunidade cientifica calculava. Segundo esta nova publicação, que surgiur na National Academy of Sciences, as primeiras plantas terrestres no nosso planeta apareceram há 500 milhões de anos atrás. Este é um número surpreendente na medida em que o fóssil mais antigo de plantas terrestres apontam para 420 milhões de anos: uma diferença de 80 milhões de anos.

Este estudo recorreu a uma técnica chamada “relógio molecular”. O biologista Simon Ho a Universidade National da Austrália descreve a técnica da seguinte forma:

“A hipótese do relógio molecular afirma que o ADN e as sequências de proteína evoluem a um ritmo que é relativamente constante ao longo do tempo entre diversos organismos. Uma consequência directa desta consistência é que diferenças genéticas entre duas espécies são proporcionais ao tempo que essas espécies partilharam um ancestral comum. Assim sendo, se a hipótese do relógio molecular estiver correcta, esta hipótese serve como um método extremamente útil para estimar linhas temporais evolucionárias. É particularmente valiosa quando estudamos organismos que deixaram poucos vestígios da sua história biológica em fóssil, como por exemplo vírus”.

Neste caso, as primeiras plantas terrestres também deixaram poucos vestígios. Esta nova metodologia permitiu ultrapassar as falhas no histórico fóssil e concluiu que a linha temporal das plantas terrestres precisa de ser aumentada.

Sabemos que as primeiras seriam parecidas a musgo ou algas. Assim que “conquistaram” a terra, com a passagem do tempo, foram-se complexificando ao longo do tempo noutras formas até atingirem a diversidade que podemos contemplar nos nossos dias. (Maistecnologia)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »