Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Oposição venezuelana anuncia que não participará nas eleições

A aliança de oposição Unidade Democrática (UD, antiga Mesa de Unidade Democrática), anunciou hoje que não apresentará candidatos às eleições presidenciais antecipadas, previstas para 22 de abril, para não avalizar o que considera ser um processo ilegítimo.

“Não contem com a UD, nem com o povo para dar o aval ao que até agora é apenas um simulacro fraudulento e ilegítimo de eleições presidenciais”, explicou a oposição em comunicado.

No documento, divulgado em Caracas, a oposição começa por ratificar “a sua inquebrável vocação eleitoral e democrática” e sublinha que acredita “no voto como a mais poderosa ferramenta de expressão popular e de transformação social e política”.

“Estas não são umas eleições. O nosso objetivo é conseguir eleições de verdade. A Constituição exige-as e é para esse objetivo que vamos orientar a nossa luta. Em nome da imensa maioria dos venezuelanos, desafiamos o Governo de (Presidente Nicolás) Maduro a medir-se contra o povo em eleições de verdade”, explica.

Segundo a oposição, a antecipação das eleições presidenciais não passa de um “show do próprio governo para aparentar uma legitimidade que não tem”, considerando que não há condições para a realização do escrutínio.

Para realizar o que designa de eleições sérias, a oposição exige que o Governo aceite um texto de acordo aprovado em dezembro último pelos ministros de Relações Exteriores da Bolívia, Nicarágua, São Vicente (escolhidos pelo próprio Governo venezuelano), México e Chile.

“Aí se estipula a realização de eleições no segundo semestre de 2018, a formação de um Conselho Nacional Eleitoral equilibrado, convidar missões de observação internacional independentes para todas as fases do processo, garantir o voto dos venezuelanos no estrangeiro, o acesso igual aos meios de comunicação públicos e privados”, acrescenta.

A oposição exige ainda que sejam revogados os atuais impedimentos legais a dirigentes políticos e que sejam feitas auditorias técnicas que assegurem “transparência e confiança” no processo.

No seu comunicado, a oposição convoca os venezuelanos a criar uma grande Frente Ampla Nacional, para organizar e articular as forças sociais e políticas, para “conseguir, este ano, eleições limpas e competitivas” e “resgatar a democracia como sistema político”. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »