Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Bolivianos manifestam-se a favor e contra recandidatura de Morales

Manifestações a favor e contra a nova candidatura do presidente Evo Morales a um quarto mandato consecutivo foram registadas nesta quarta-feira (21) na Bolívia, num reflexo da polarização política vivida no país.

Por conta dos protestos, as principais cidades bolivianas, como La Paz, Cochabamba e Santa Cruz, permaneceram com bloqueios de ruas e avenidas por parte de vizinhos e ativistas, embora sem incidentes maiores

Em El Alto, cidade vizinha de La Paz e outrora ninho eleitoral de Morales, o líder centrista Samuel Doria Medina comandou uma maciça marcha de seu partido, Unidade Nacional, na qual exigiu “respeito ao voto” do referendo que, em 2016, negou ao presidente de esquerda a possibilidade de uma nova candidatura.

Mas no fim de 2017, uma sentença do Tribunal Constitucional deu a Morales a permissão para se candidatar indefinidamente, medida que gerou protestos da oposição e de organizações civis do país.

Em uma avaliação da greve convocada pela oposição, o ministro da Presidência, Alfredo Rada, disse em coletiva de imprensa que “não alcançou a presença em massa de cidadãos nem impacto suficiente para paralisar as atividades produtivas, de serviços e comerciais”.

Na contramão, Luis Fernando Camacho, dirigente do poderoso comité civil da região de Santa Cruz, a mais próspera do país, e contrário à reeleição de Morales, considerou que “o povo boliviano está mobilizado, há um sentimento de fazer respeitar o voto e a democracia”.

Em um ato maciço em uma zona rural de Santa Cruz, o presidente Morales se manifestou “surpreendido” diante de “tantas ofensas, tantas humilhações, tantas mentiras (da oposição). Aos irmãos (das organizações afins ao governo): sigam mobilizados para continuarmos com nosso processo”.

As mobilizações dos dois lados foram convocadas dois anos após o referendo que negou ao presidente, por uma margem estreita, sua aspiração de concorrer novamente à reeleição.

Morales, de 58 anos e no poder desde 2006, se autoproclamou em dezembro candidato para as eleições de dezembro de 2019, na qual serão renovados o presidente, o vice-presidente e o Congresso para o período 2020-2025.

– ‘Vamos defender este processo’ –

O governante Movimento ao Socialismo (MAS) organizou maciças concentrações na noite de terça-feira em Santa Cruz e nesta quarta-feira em La Paz e Cochabamba em apoio à candidatura de Morales.

“Nós vamos defender esse processo, vamos governar entre nós, não podemos ser governados pelo Fundo Monetário Internacional”, disse o ministro de Desenvolvimento Rural, o aimará Eugenio Rojas, durante uma concentração em La Paz. (AFP)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »