Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Dirigentes sanitários do Moxico obrigados a prestar contas

O princípio da prestação de contas por parte dos dirigentes do sector da saúde será obrigatório, para responder o lema da governação do Moxico, “responsabilidade e responsabilização”, informou hoje, quarta-feira, no Luena, o vice-governador provincial para o sector social, político e económico, Alberto Masseca.

Alberto Masseca discursava na abertura do Encontro Provincial do sector da Saúde, que decorre em dois dias no Hospital Geral do Moxico (Luena), argumentando que o mecanismo de prestação de contas melhorará a justificação da gestão dos fundos públicos.

“O lema global da governação é melhorar o que está bem e corrigir o que está mal, e a nível da província é responsabilidade e responsabilização, que deve ser individual e colectiva”, reforçou, perante directores dos hospitais provinciais, municipais e de repartições sanitária, parceiros, entre outros.

O vice-governador alertou que o governo provincial vai dar uma “extrema importância” ao sector da saúde durante a governação 2017/2022, para se melhorar os indicadores múltiplos de saúde da província, que disse estarem “muito abaixo”.

Lembrou que os números não enganam, há indicadores muito “abaixo do normal”, como a cobertura da taxa de vacinação, do uso do mosquiteiro, utilização do serviços de saúde, dos métodos contraceptivos, a diminuição da seroprevalência do Hiv/Sida e a incidência da malária.

Em face as anomalias, orientou aos conferencistas para encontrarem medidas que deem soluções para se inverter a actual situação sanitária da província.

As possíveis soluções a serem encontradas, adiantou, integrarão o Plano Desenvolvimento sanitário da Província, municipais e farão parte do Plano de Desenvolvimento Provincial do Moxico.

Outra questão que quer que seja abordada com “lisura” é a dos recursos humanos, que, mesmo sendo poucos e vivendo distante do Luena (cidade capital), não deve ser de “exclusão”.

Devem ser incentivados a melhorar a formação e especialização, para se melhorar a qualidade na assistência sanitária à população e na gestão hospitalar.

“Aos gestores nós solicitamos que façam as melhores escolhas e que beneficie a maioria. A manutenção preventiva dos equipamentos médicos e outros é também prioridade”, finalizou.

O Encontro vai abordar as “Bases para Elaboração do Plano Provincial de Desenvolvimento Sanitário”, “Regime Jurídico das unidades Sanitárias”, Vigilância Epidemiológica e sistema de Informação Sanitária”, entre outros. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »