Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Confira os piores massacres na história moderna dos Estados Unidos

estado da Flórida, deixando um balanço de pelo menos 17 mortos.

Estes são os piores massacres nas últimas décadas nos Estados Unidos.

– Concerto em Las Vegas: 58 mortos –

Um homem de 64 efetuou disparos a esmo da janela de seu quarto de hotel contra uma multidão que assistia a um show de música country em Las Vegas, em outubro de 2017. O ataque deixou 58 mortos e 546 feridos. O atacante se suicidou.

– Boate gay em Orlando: 49 mortos –

Um jovem fortemente armado abriu fogo dentro de uma boate gay na cidade de Orlando em 12 de junho de 2016, matando 49 pessoas. O atacante foi morto em uma troca de tiros posterior com a Polícia. Anteriormente, havia prometido obediência o grupo radical Estado Islâmico.

– Universidade Virginia Tech: 32 mortos –

Um estudante de 23 anos de origem coreana efetua disparos na Universidade Virginia Tech, em Blacksburg, em abril de 2007. Provocou a morte de 27 estudantes e cinco professores e se suicidou.

– Escola de ensino fundamental Sandy Hook: 26 mortos –

Um jovem de 20 anos matou sua mãe na localidade de Newtown, Connecticut, em dezembro de 2012, e depois invadiu a escola de ensino fundamental Sandy Hook, onde matou 20 crianças de 6 e 7 anos de idade. Em seguida, cometeu suicídio.

– Igreja do Texas: 26 mortos –

Um homem matou 26 fiéis e feriu outros 20 que participavam de um ato religioso em uma igreja Batista na pequena comunidade rural de Sutherland Springs, nos arredores de San Antonio, no Texas, em novembro de 2017. Segundo a Polícia, o atacante foi encontrado morto no seu carro pouco depois.

– Restaurante no Texas: 22 mortos –

Em outubro de 1991, um homem efetua disparos contra outras pessoas que estavam em um restaurante na localidade de Killeen, no Texas. Provocou a morte de 22 pessoas e em seguida se suicidou. Um dos feridos morreu vários dias depois.

– Escola de ensino médio na Flórida: 17 mortos –

Um jovem abriu fogo contra alunos e adultos em uma escola em Parkland, Flórida, em 14 de fevereiro de 2018, e provocou a morte de pelo menos 17 pessoas. A Polícia prendeu um suspeito: seria um ex-aluno da escola, de 19 anos.

– Festa na Califórnia: 14 mortos –

Um casal de imigrantes muçulmanos invadiu uma festa dos funcionários de um escritório de serviços sociais em San Bernardino, na Califórnia, em dezembro de 2015 e abriu fogo. O ataque deixou 14 mortos e 22 feridos. Os dois foram mortos pela Polícia pouco depois.

– Base militar de Forte Hood: 13 mortos –

Em novembro de 2009, um psiquiatra das forças armadas abriu fogo na base situada em Killeen, Texas. O ataque provocou a morte de 13 pessoas e deixou 42 feridos. O atacante foi morto pela Polícia.

– Centro de imigrantes em Nova York: 13 mortos –

Um imigrante vietnamita matou 13 pessoas a tiros em um centro cívico em Binghamton, Nova York, em abril de 2009, suicidando-se em seguida.

– Escola de ensino médio Columbine: 13 mortos –

Dois adolescentes mataram 12 colegas e um professor na escola de ensino médio Columbine, em Littleton, Colorado, em abril de 1999. Os dois se suicidaram.

– Washington Navy Yard: 12 mortos –

Um ex-marine atirou contra trabalhadores da central portuária de Washington, a Washington Navy Yard, em setembro de 2013, provocando a morte de 12 pessoas, foi executado pela Polícia.

– Cinema em Denver: 12 mortos –

Um jovem que usava uma armadura invadiu um cinema em Aurora, no Colorado, em julho de 2012, onde atirou uma bomba de gás lacrimogêneo e abriu fogo. Doze pessoas morreram e 70 ficaram feridas. O atacante foi condenado à prisão perpétua. (Reuters)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »