Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Homens invadem ônibus e executam inimigo no Paraná

Crime aconteceu em Ponta Grossa, nos Campos Gerais

As autoridades policiais de Ponta Grossa procuram informações que possam esclarecer o brutal assassinato de Eggon Henrique Penna, 26. Ele estava no interior de um ônibus, na Rua Bahia, no bairro São José, nesta cidade, quando homens armados invadiram o veículo e o executaram com mais de 40 tiros. O crime foi cometido na presença de outras pessoas. A hipótese é que o assassinato pode ter sido cometido por vingança. Em outra linha de investigação, admite-se a queima de arquivo.

As circunstâncias e a maneira como agiram os criminosos chamam a atenção. Eles postaram-se na porta de entrada de ônibus, pediram o nome de cada um dos ocupantes e exigiram que deitassem e colassem o rosto no assoalho. Quando identificaram Egon, o levaram para o fundo do veículo e o alvejaram com dezenas de tiros – muitos dos quais na cabeça – segundo fontes policiais ouvidas no local pelo portal aRede.

O homicídio teve a participação direta de dois homens, mas outros possivelmente os davam cobertura e meios para fuga. ‘Ninguém sabe quem são, nem detalharam características físicas e muitos menos viram com que carro fugiram do local, porque estavam deitados ao chão’, detalhou um policial. Dentro do ônibus foram recolhidas mais de 40 cápsulas de pistola 9 milímetro, conforme relato oficial de um investigador.

Eggon era detento da Penitenciária Estadual de Ponta Grossa e fazia parte de um programa ofertado pela Justiça para remissão de pena. Ele havia trabalhado, à tarde, na companhia de outros presidiários na limpeza de uma praça no bairro São José. O ônibus aonde aconteceu a execução pertence a uma empresa de Ponta Grossa e estava sendo vigiado por um agente penitenciário. Os demais detentos, funcionários e resposáveis pela segurança, não foram feridos

As autoridades ressaltam que os autores dos disparos, quando entraram no ônibus, perguntaram o nome de cada presidiário, até o momento em que identificaram o Eggon. Depois atiraram várias vezes contra ele, numa evidente queima de arquivo. Vários disparos foram à queima-roupa, em direção à cabeça. O corpo foi encaminhado ao IML de Ponta Grossa.

Ainda nesta noite, a Polícia Civil deverá ouvir todos os ocupantes do ônibus para direcionar as investigações. (Band B)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »