Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Colômbia, Venezuela e Brasil mobilizam tropas para as fronteiras comuns

A Colômbia, a Venezuela e o Brasil enviaram esta segunda-feira tropas para as fronteiras comuns, para cumprir funções segurança fronteiriça, por onde os venezuelanos têm saído para tentar escapar da crise político-económica que afeta o seu país.

Na Venezuela, o comando militar da Região Estratégica de Defesa Integral do Leste confirmou, através da rede social Twitter, que foram enviados 111 militares do Exército desde o Estado de Monágas (oeste de Caracas), para o Estado de Táchira (sudoeste do país), que partilha fronteira com a Colômbia.

O envio foi feito ao abrigo da Operação Sentinela 2017 como parte, segundo o diário venezuelano El Nacional, do Plano Centauro Negro, que contempla as ações de defesa a uma incursão militar estrangeira.

O envio de militares tem lugar depois de o procurador-geral designado pela Assembleia Constituinte, Tareck William Saab acusar, publicamente, a Colômbia de estar a preparar uma ação para invadir e bombardear a Venezuela.

Por outro lado, a Colômbia reforçou, desde a semana passada, a segurança nos 2.400 quilómetros quadrados que partilha com a Venezuela depois de anunciar restrições à entrada de venezuelanos, agora obrigados a apresentar um passaporte válido para poder entrar em território colombiano.

Segundo a imprensa colombiana, atualmente está em curso uma “greve armada” do Exército de Libertação Nacional da Colômbia (ELN), na sequência da suspensão das conversações de paz nesse país.

Segundo o comandante da Polícia Metropolitana de Cúcuta (Colômbia), Javier Barrera, estão a ser feitas ações de patrulhamento, diurno e noturno, junto de passagens ilegais entre a Colômbia e a Venezuela, para evitar que sejam usadas pelo ELN para fugir aos controlos das autoridades.

“Sobre a ponte (Simón Bolívar, que une a localidade venezuelana de Táchira com a colombiana Cúcuta) há uma ação de segurança reforçada com os Serviços de Migração da Colômbia. Está a exigir-se passaporte, bilhete de identidade venezuelano e o Cartão de Mobilidade Fronteiriça”, disse aos jornalistas, precisando que as autoridades confirmaram combustível, carne e até uma viatura, em passagens ilegais.

Por outro lado, o ministro da Defesa do Brasil, Raul Jungmann, anunciou que foi reforçado o número de militares nos 2.199 quilómetros de fronteira com a Venezuela, uma medida que visa fazer face à chegada intensiva de imigrantes venezuelanos ao Estado brasileiro de Roraima (norte).

O anúncio teve lugar na cidade brasileira de Boa Vista, capital de Roraima, durante um encontro com o Presidente brasileiro Michel Temer.

Segundo dados não oficiais, pelo menos 600 mil venezuelanos emigraram recentemente para a Colômbia e outros 40 mil para o Brasil. (Observador)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »