Tuberculose mata 200 pessoas na Huíla

Duzentas pessoas morreram vítimas de tuberculose nos últimos nove meses, na província da Huíla, mais oito em relação a igual período de 2016.

Segundo fonte da direcção provincial da saúde, contactada hoje, terça-feira, pela Angop, no Lubango, foram diagnosticados três mil e 62 casos em pacientes com idades compreendidas entre 15 e 55 anos.

Foram registados 2.947 casos novos, 115 recaídas, 1.113 abandonos de tratamento e 90 transferidos de uma unidade para outra, dentro e fora da província, assim como 475 foram detectadas com baciloscopia negativa e 184 por tuberculose pulmonar.

Fez saber que neste período foram ainda detectadas 159 pessoas co-infectadas com tuberculose e Vih-sida, 659 pessoas completaram o tratamento e 605 ficaram curadas.

Os grupos vulneráveis, indicou, são os mineiros, refugiados/ imigrantes, crianças e contactos próximos, idosos trabalhadores expostos ao risco de desnutrição, diabetes, tabagismo, alcoolismo, abuso de drogas, de entre outros. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »