Sindicato de Enfermeiros alerta para aumento de mortes nos hospitais de Luanda

Profissionais suspenderam consultas e podem entrar em greve em protesto por falta de resposta do Governo

Os enfermeiros de Luanda suspenderam desde segunda-feira, 11, as consultas nos centros de saúde, postos e hospitais públicos, devido à falta de resposta das autoridades provinciais às reivindicações do sector, que se arrastam desde 2012.

Em consequência, o Sindicato de Enfermeiros de Luanda afirma que aumentaram o número de mortos nos hospitais e ameaça com greve.

“Por falta de prescrição nos postos e centros medicos, os hospitais provinciais estão abarrotados e, por isso, o número de mortes tem aumentado”, denuncia António Afonso Kileba.

A decisão de suspender o atendimento, segundo aquele sindicalista, decorre da falta de resposta do Governo de Luanda ao caderno reivindicativo da classe entregue em 2012,

Entre as reivindicações estão o pagamento de retroactivos, subsídios de consulta e a falta de promoção na careira.

Depois de uma reunião na quarta-feira, 13, com o Governo provincial de Luanda, o Sindicato vai reunir-se agora com os profissionais para decidir se avança com uma greve “já na segunda-feira”, avisou Kileba.

Recorde-se que desde há dois anos o Governo e a oposição, nomeadamente a UNITA, têm apresentado dados opostos sobre a situação sanitaria no país.

Há menos de um mês a UNITA denunciou um estado de calamidade pública na província da Lunda Norte, mas o Governo respondeu afirmando que os números estão dentro da média dessa época do ano. (Voa)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »