Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Mais de 100.000 efectivos da Polícia Nacional para segurança da quadra festiva

A Polícia Nacional angolana mobilizou mais de 100.000 efetivos para a quadra festiva, apoiados por mais de 1.500 viaturas, para “garantir segurança e tranquilidade aos cidadãos”, nesta fase do ano, foi hoje anunciado.

A informação foi transmitida pelo chefe do Posto de Comando Central de segurança da quadra festiva, comissário Caetano Quiar, quando falava no final de uma reunião que avaliou o estado de prontidão dos efetivos para a operação.

“Temos mobilizado a nível do Ministério do Interior mais de 100.000 efetivos da Polícia, mais de 1.500 viaturas, mais de 700 motorizadas, para que haja um policiamento ostensivo, de visibilidade, para garantir a segurança pública no país”, disse.

De acordo com o oficial da Polícia angolana, o que se pretende “é que essa quadra festiva decorra num ambiente social de tranquilidade”, sendo o principal objetivo garantir que os cidadãos realizem as suas festas com segurança, sem “os incomodar”

“Para esta garantia teremos presença policial em todos os pontos de bairros críticos, o ideal é que não haja qualquer ocorrência”, referiu.

Na abertura dos trabalhos, o ministro do Interior de Angola, Ângelo Veiga Tavares, assegurou que a prevenção da criminalidade, o combate à especulação e o açambarcamento vão dominar as ações da Polícia neste período, realçando que a postura dos efetivos será fiscalizada.

Por seu turno, o comissário Caetano Quiar assinalou igualmente a relevância da inspeção nas ações dos efetivos da Polícia Nacional, garantindo que irá “responsabilizar qualquer atitude indecorosa”.

“A todos efetivos exige-se rigor e disciplina, por isso não se vai permitir atos indecorosos por parte dos nossos efetivos, para tal, e no âmbito desta operação, estão criadas equipas de inspeção e todo aquele efetivo que tiver uma conduta indecorosa será responsabilizado”, assegurou.

Segundo ainda Caetano Quiar, no quadro da “Operação Luvuvamu 2017/2018”, que teve início em novembro, na sua primeira fase, foram detidos mais de 400 cidadãos implicados em diversos crimes e apreendidas mais de 100 armas de fogo.

“E também a recolha de mais de 30.000 cidadãos estrangeiros em situação migratória irregular no país, maioritariamente da RDC (República Democrática do Congo), assim como a saída voluntária de muitos outros”, apontou. (Diário de Notícias)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »