Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Lundas prometem manifestação contra precárias condições de saúde

População diz que os dois hospitais da região estão sem condições de atendimento. Desde setembro, dezenas de crianças já morreram. O Governo classifica o caso como epidemia de malária, mas organizações locais discordam.

Os moradores da região das Lundas, no leste de Angola, estão assustados com a quantidade de crianças que têm morrido desde setembro. O Governo angolano classifica a situação como epidemia de malária, facto que as autoridades e organizações locais discordam devido aos sintomas.

De acordo com os líderes locais, pelo menos oito crianças estão a morrer por dia apenas na localidade de Cafunfo, no município de Cuango, na província da Lunda Norte. A localidade conta com cerca de 70 mil habitantes.

Os moradores decidiram realizar uma manifestação na véspera do Natal (24.12) para protestar contra a precária situação que têm enfrentado nos últimos tempos: os dois hospitais da região estão sem condições de atendimento devido à falta de higiéne e carência de medicamentos.

Até os três cemitérios da cidade estão cheios de pequenas valas prontas a receber um elevado número de vítimas diariamente, principalmente crianças. Para Enoque Jeremias, diretor da Associaçao para Promoção de Desenvolvimento Social, o número de menores com idades de 0 a 14 anos que não resistiu aos sintomas de febre alta impressiona até quem trabalha há anos na região.

“Houve um tempo em que estavam a morrer entre oito e 15 crianças por dia, assim, invariavelmente. Um dia morria cinco, em outro dia oito ou 15, sucessivamente. Essa situação se repetia, no dia-a-dia até que ficou difícil calcular quantas mortes, ninguém consegue definir o número exato de crianças que já morreram”, detalha Enoque Jeremias.

Governo face à situação

População e grupos de apoio social mostram-se impotentes face ao fenómeno. A ministra da Saúde de Angola, Sílvia Lutucuta, esteve no local recentemente para a entrega de 17 ambulâncias à Administração do Cuango, facto que, para os moradores, não ajudou muito devido a condição precária das estradas. (DW)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »