Juristas dizem que PGR deve investigar acusações contra Isabel dos Santos

Em causa acusações do jornalista Rafael Marques

Especialistas angolanos consideram que a Procuradoria-Geral da República (PGR) devia investigar a acusação de Rafael Marques contra Isabel dos Santos, segundo a qual a empresária terá desviado da Sonangol mais de 135 milhões de dólares usando o banco BIC.

Analistas ouvidos pela VOA dizem que sempre que houver uma denúncia contra qualquer servidor publico, a PGR deve encetar o competente processo de averiguação da denúncia para se encontrar responsáveis.

De acordo o portal Maka Angola, de Rafael Marques, a empresária Isabel dos Santos teria assinado uma ordem de pagamento no valor de 60 milhões de dólares a favor de Matter Bisiness Solutions, uma das empresas de Isabel dos Santos sedeada em Dubai.

Santos disse em comunicado nas redes sociais que as acusações são infundadas e acusou os jornalistas Rafael Marques e Gustavo Costa que protagonizarem uma campanha de difamação contra ela.

Contactado pela VOA, Gustavo Costa disse não perder o seu tempo para reagir o comunicado de Isabel dos Santos que sequer está assinado.

O jurista e deputado David Mendes pediu cautela quando se faz esse tipo de acusação contra pessoas sem que para tal se tenham provas suficientes.

Leonel Gomes, outro jurista e também deputado, diz que só a denúncia pública do jornalista é suficiente para que a PGR inicie um competente processo para investigar.

“Apelo que a PGR assuma o seu papel e investigue e a se concretizar a veracidade da denúncia instaure um competente processo-crime, e cas não se confirme a pessoa acusada pode intentar uma accão de calúnia e difamação contra os denunciantes”.

Contudo, conhecendo a PGR como diz conhecer o jurista não coloca muita fé que tal possa acontecer.

“Quando há denúncias graves contra pessoas ligadas ao poder a nossa PGR faz que nem a avestruz, mas quando alguém rouba uma galinha porque tem fome, porque o pai é pobre, etc., a PGR imediatamente acciona mecanismos para o crime, de maneira que os crimes de colarinho branco em Angola são perdoados e as pessoas são quase obrigadas a aplaudir porque esses crimes são impunes”, sublinha Gomes.

A UNITA, maior partido na oposição, exige que a Sonangol seja alvo de um inquérito parlamentar para se apurar as sua contas.

O especialista em politicas publicas e gestão David Kissadila é de opinião que a PGR devia investigar a denúncia contra a antiga PCA da Sonangol.

“Se de facto trata-se de dinheiro público, património de todos os angolanos, esses dados são indícios para a procuradoria despoletar uma acção de investigação”, conclui Kissadila. (Voa)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »