Huambo: Elaboração da proposta do plano de desenvolvimento termina em Janeiro

A elaboração da proposta do plano de desenvolvimento da província do Huambo para os próximos cinco anos, já em curso, termina no próximo mês de Janeiro. Ao anunciar o facto sexta-feira, durante a 3ª sessão do governo da província, o responsável da coordenação executiva deste plano, Bruno Soares, disse tratar-se de um instrumento orientador das acções do governo local para a melhoria da qualidade de vida dos cidadãos.

Até Janeiro, informou que a equipa vai continuar a trabalhar com o governo, com as administrações dos municípios e organizações da sociedade civil na discussão das propostas, definindo prioridades que devem ser já enquadradas no Orçamento Geral do Estado para 2018 e as demais acções que deverão ser executadas, de forma faseada, até 2022, devido às limitações financeiras.

Deu a conhecer que o plano de desenvolvimento assentará no desenvolvimento social e económico, diversificação e inclusão, construção de infra-estruturas necessárias ao desenvolvimento e equilíbrio, reforma do Estado, descentralização, boa governação e reforço à democracia, garantias da estabilidade e interesse territorial.

Explicou que estes eixos fundamentais serão alcançados através da implementação e execução de vários programas e sub-programas, desde a melhoria do sistema de ensino e aprendizagem, da rede de assistência médica e medicamentosa, apoio à produção agrícola e pecuária familiar, desenvolvimento industrial e do turismo.

Disse ainda constar dos programas a exploração dos recursos minerais, piscícolas e apícolas, assim como a melhoria do sistema de abastecimento de água potável, do fornecimento de energia eléctrica e das acessibilidades e das condições de mobilidade nas comunidades.

Tendo em conta as especificidades da província do Huambo, com um potencial enorme no ramo agrícola, Bruno Soares afirmou que o plano de desenvolvimento terá como maior vertente o apoio da agricultura familiar, através da extensão rural e infra-estruturas, de modo a potenciar a agro-indústria e demais indústrias complementares.

Desta forma, perspectivou, esta província se tornará num modelo de plataforma de rede comercial dinâmica, moderna e abrangente para o país, no quadro da diversificação da economia nacional.

Ao encerrar a sessão, o governador local, João Baptista Kussumua, disse que o maior desafio com a elaboração do plano de desenvolvimento é criar um instrumento orientador mais eficiente, com características mais inclusivas e participativas.

Este plano, segundo disse, visa propiciar o desenvolvimento sócio-económica da região na sua plenitude, apelando, por isso, a contribuição das organizações da sociedade civil na sua elaboração.

Durante o encontro, os membros do governo foram informados sobre o balanço do programa municipal integrado de combate à pobreza e desenvolvimento rural durante o III trimestre do presente ano, tendo sido igualmente informados sobre as metodologias de elaboração do plano nacional de desenvolvimento da província 2018-2022. (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »