Dois grupos chineses negociam COBA com Sonangol

A COBA, a empresa de engenharia de capitais angolanos, está no mercado e é cobiçada por grupo chineses.

Dois grupos chineses, um dos quais ligado à China Three Gorges (acionista da EDP) surgem no lote de interessados em tomar uma posição de controlo na COBA – Consultores para Obras, Barragens e Planeamento, detida por um consórcio angolano (Primagest) liderado pela Sonangol. O consórcio inclui também o ex-primeiro-ministro de Angola, Lopo do Nascimento, que preside à holding do grupo de engenharia.

Segundo o Expresso apurou, a norueguesa NorConsult estará igualmente entre os candidatos à compra dos 70% que a Primagest detém na COBA – o restante capital está disperso pelos fundadores da empresa.
Manter o rumo do grupo

Contactado pelo Expresso, a COBA confirma que tem sido abordada “por reputados operadores mundiais do sector da engenharia, com o objetivo claro de participação no seu capital”.

“Das várias manifestações de interesse, têm sido apreciadas as que garantam a continuidade da expansão do grupo e o reforço da presença no mercado internacional que representa mais de 90% da nossa atividade”, respondeu a COBA ao Expresso.

O interesse decorre do “sólido historial técnico e financeiro” que se traduz “em excelentes resultados nos últimos exercícios”.

A empresa nota que na sua carreira de mais de 50 anos “com intervenções em projetos internacionais em mais de 46 países” cooperou com empresas de diferentes origens, como “chinesas, norueguesas e francesas”.

Em 2016, a COBA faturou perto de 40 milhões de euros em mais 10 mercados e registou um lucro de 6 milhões (2,6 milhões em 2015). O grosso da receita resulta de mercados emergentes de África e América Latina, como Angola, Argélia, Colômbia e Peru. A COBA conta com sucursais em oito mercados.
Chineses à espreita

O perfil empresarial e a sua exposição ao mercado angolano torna a COBA especialmente apetitosa para grupos chineses. No mercado, aponta-se a China Design Group como um dos interessados, a par de uma subsidiária para a área de estudos e projetos da China Three Gorges.

Após a entrada de capital angolano, em 2011, a COBA encetou um processo de reorganização que reforçou a sua vocação internacional e melhorou a rentabilidade do negócio nos principais mercados. (Expresso)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »