Combate à Doença do Sono com novas técnicas de diagnóstico

Duas novas técnicas de combate à Doença do Sono, Tripanossomíase Humana Africana, começam a ser implementadas no dia 15 deste mês no Bengo e no Uíge, províncias consideradas endêmicas

Em declarações hoje, segunda-feira, à Angop, o chefe de Departamento de Gestão Técnica e Supervisão do Instituto de Combate e Controlo das Tripanossomíases (Icct), Paulo Makana, disse que, a partir do dia 15 deste mês, o diagnóstico de casos será efectuado com testes rápidos e através da Biologia Molecular, que consiste na detecção rápida do ADN do tripanossoma no sangue.

Para tal, será introduzido um novo modelo de microscópio florescente, que vai facilitar também o diagnóstico da doença.

“A implementação destas técnicas faz parte de um projecto que está a ser financiado pela Fundação Internacional para Inovação de Novos Diagnósticos”, para ajudar Angola a combater a Doença do Sono”, frisou.

De acordo com Paulo Makana, para a eliminação da doença até 2020, meta da OMS, o Icct vai aumentar a cobertura epidemiológica, integrando os seus serviços nas unidades sanitárias públicas, com técnicos formados em matéria de tratamento e diagnóstico da tripanossomíase.

“A experiência piloto foi em Cabinda e hoje a província conta com 13 unidades onde se pode encontrar atendimento nesta especialidade”, disse.

Acrescentou que esta estratégia vai aumentar a cobertura epidemiológica e, consequentemente, o diagnóstico precoce de casos.
(Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »