Cabo Verde: 16 mil famílias em situação vulnerável

16 mil famílias, num total de quase 40 mil pessoas, vivem em situações de vulnerabilidade, segundo os primeiros dados, ontem apresentados, do Cadastro Social Único, efectuado em 16 dos 22 concelhos de Cabo Verde.

Cabo Verde tem cerca de 16 mil famílias em situações de vulnerabilidade, segundo os primeiros dados do Cadastro Social Único.

Foi um estudo elaborado em 16 dos 22 municípios do país, e que permitiu recolher informações ao nível da composição do agregado, do rendimento, da existência de pessoas com deficiência e do acesso a infra-estruturas como água, electricidade e saneamento.

O governo já considerou que o Cadastro Social Único é um “poderoso instrumento de gestão” das políticas públicas sociais. Para a directora nacional da Inserção Social, Mónica Furtado, o cadastro vai permitir estruturar respostas mais direccionadas para cada população. “Permitirá focalizar nas pessoas que mais precisam e, para além disso, o cadastro permitirá adquirir dados da situação social das famílias a nível de todas as localidades”, disse a directora.

Até ao momento, o Governo com o apoio da com o apoio da Organização Internacional do Trabalho (OIT) e do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF) já fez o cadastro social em cerca de 40 mil pessoas em situações de vulnerabilidade de 16 municípios do país. Ainda assim, o processo vai continuar até que todos concelhos sejam abrangidos.

O Banco Mundial já se disponibilizou para dar apoio técnico e financiamento para operacionalização do Cadastro Social Único.

35% da população de Cabo Verde é pobre e cerca de 11 por cento é muito pobre, segundo as estatísticas oficiais de 2015.
(RFI)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »