Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

George Weah tem ampla vitória nas presidenciais da Libéria

A lenda do futebol e senador George Weah obteve 61,5% dos votos no segundo turno das eleições presidenciais na Libéria, celebrado na terça-feira, contra 38,5% para o vice-presidente Joseph Boakai, anunciou nesta quinta-feira (28) a Comissão Eleitoral Nacional, após a apuração de 98,1% dos votos.

Astro do PSG e do Milan AC nos anos 1990, George Weah sucederá em 22 de Janeiro a presidente em fim de mandato, Ellen Johnson Sirleaf, na primeira transição democrática neste país anglófono oeste-africano em mais de 70 anos.

Os liberianos aguardavam com ansiedade os resultados, ainda que parciais, do segundo turno, uma disputa entre a lenda viva do futebol do país e o actual vice-presidente, Joseph Boakai.

Em Monróvia, policiais armados estavam a postos nas imediações da sede da NEC, que havia anunciado que divulgaria os primeiros resultados durante o dia, sem dar horários, constatou a AFP.

Weah sucederá a primeira mulher eleita chefe de Estado na África, que esteve 12 anos no comando deste pequeno país, conduzindo a reconstrução depois da guerra civil (1989-2003), que deixou cerca de 250.000 mortos.

“O povo liberiano elegeu claramente [na terça-feira] e, juntos, teremos confiança com relação ao resultado do processo eleitoral”, tuitou o presidente eleito.

Weah, de 51 anos, obteve a maior votação no primeiro turno, com 38,4% dos votos, enquanto Boakai, de 73 anos, foi o segundo colocado, com 28,8% dos votos.

Weah, único africano a ganhar a Bola de Ouro do futebol europeu (1995), disputou sem sucesso as presidenciais de 2005 e 2011, e também foi um candidato frustrado à vice-presidência na chapa de Winston Tubman. É senador desde 2014.

O país ainda vive sob a sombra de Charles Taylor, de 69 anos, ex-senhor da guerra e presidente (1997-2003), condenado a 50 anos de prisão, que cumpre no Reino Unido por crimes de guerra e contra a humanidade, cometidos na vizinha Serra Leoa. Outros dois presentes anteriores foram assassinados.

– ‘Um bem comum: a paz’ –

“A NEC está feliz de que, 48 horas depois da votação, tudo continue em paz. Inclusive quem foi virulento nas redes sociais começou a mudar de tom”, declarou mais cedo, nesta quinta-feira, na rádio, seu director de comunicação, Henry Flomo.

“Todo mundo diz que há um bem comum a proteger, isto é, a paz na Libéria”, acrescentou.

O país tem 2,1 milhões de inscritos no colégio eleitoral. Espera-se que a contagem de votos termine na sexta-feira, quando se conhecerá o resultado final da eleição.

“Isto vai mais rápido do que antes e as eleições foram justas. [O processo] continuará sendo pacífico, estou certo de que não haverá violência”, explicou nesta quinta-feira à AFP um funcionário de uma seguradora, Bestman Smith, de 27 anos, no centro da capital, Monróvia.

Tanto o secretário-geral da ONU, António Guterres, quando a União Europeia (UE) e o chefe dos observadores da Comunidade Económica de Estados do Oeste da África (CEDEAO), o ex-presidente de Gana John Dramani Mahama, elogiaram a “celebração pacífica” das eleições.

Segundo Mahama, a participação no segundo turno foi de “cerca de 55%”, após ter sido adiada durante sete semanas, devido a um recurso judicial apresentado pelo candidato que ficou em terceiro lugar. (Afp)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »