Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Sudão do Sul: Oposição acusa o Governo de violar cessar-fogo

Acordo para o fim das hostilidades entre o Governo e os rebeldes entrou em vigor na madrugada deste domingo (24.12), mas a oposição diz ter sido atacada por tropas governamentais. Governo nega as acusações.

No Sudão do Sul, o principal grupo rebelde, liderado pelo ex-vice-Presidente Riek Machar, acusou as forças de segurança do Governo de violar o cessar-fogo horas depois de o acordo ter entrado em vigor, este domingo (24.12).

O porta-voz da oposição, Lam Paul Gabriel, disse por meio de um comunicado que as tropas governamentais “bombardearam” bases dos oposicionistas no município de Yei e realizaram um ataque em Koch, na manhã deste domingo.

Ainda segundo Gabriel, as forças do Governo estariam a caminho da cidade de Wau para mais um ataque. “É questão de tempo para que ataquem nossas posições”, afirmou.

O porta-voz do Governo do Sudão do Sul, Ateny Wek Ateny, declarou à agência de notícias Associated Press que as forças governamentais só agiriam em legítima defesa. “Como poderíamos violar o cessar-fogo? Isto acabou de entrar em vigor. Só podemos atacar em legítima defesa”.

Estas seriam as primeiras violações do cessar-fogo que entrou em vigor nas primeiras horas deste domingo. O Governo e as facções rebeldes concordaram em pôr fim às hostilidades na passada quinta-feira após dias de mediação internacional, em Adis Abeba, na Etiópia.

“Defesa das posições”

O Presidente do Sudão do Sul, Salva Kiir, anunciou oficialmente no sábado (23.12) a cessação das hostilidades em todo o país. Em decreto presidencial divulgado pela televisão estatal, Kiir ordenou que todas as forças governamentais ponham fim às hostilidades e continuem em suas posições. Além disso, pediu ao chefe do Estado-Maior que faça um relatório sobre todas as unidades para que se comprometam com a decisão.

Na sexta-feira, o ex-vice-Presidente e líder da oposição armada sul-sudanesa, Riek Machar, ordenou que suas tropas parassem imediatamente os ataques, segundo o que foi definido em Adis Abeba.

Machar destacou em comunicado que o grupo se comprometia ao que havia sido estipulado e ressaltou que o acordo somente será rompido em caso de “defesa das posições”. O acordo foi assinado sob a mediação da Autoridade Intergovernamental para o Desenvolvimento (IGAD).

O Sudão do Sul sofre com uma guerra civil desde Dezembro de 2013 entre as forças de Kiir, da etnia dinka, e as de Machar, da tribo nuer. Ambas as partes chegaram a um acordo de paz em Agosto de 2015, que levou à criação de um Governo de unidade nacional, mas a violência voltou em Julho de 2016.

O conflito já deixou milhares de mortos e levou o país à beira da fome, com 7,6 milhões de pessoas necessitadas de ajuda, seis milhões sem acesso a alimentos suficientes e quatro milhões de deslocados. (DW)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »