Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

MPLA coloca em “Stand By” saída de JES em 2018

A direcção do MPLA ainda não decidiu sobre a realização de um congresso extraordinário, tendo em vista o anúncio do líder do partido, José Eduardo dos Santos, de abandonar a vida política activa no próximo ano.

“A lógica é que estamos em 2017 e 2018 tem 365 dias. Assim que esta questão estiver na agenda vamo-nos pronunciar e comunicar aos militantes”, declarou o secretário do bureau político para a Informação, Norberto Garcia, em conferência de imprensa na sede do partido, para a qual aos jornalistas nacionais e estrangeiros não foi exigido credenciamento.

Os congressos, acrescentou, são realizados sempre que há necessidade de substituir o líder do partido ou abordar matérias que sejam importantes à organização política. Para Norberto Garcia, o processo de mudanças no país é uma experiência nova e o MPLA não tem nenhum receio de as implementar.

Norberto Garcia disse que o presidente do MPLA, José Eduardo dos Santos, é o líder dessas mudanças, enquanto o Presidente da República, João Lourenço, implementa as políticas do partido.

Segundo Norberto Garcia, o partido e o líder acompanham o processo de transição no país, que decorre de forma urbana e normal.
O MPLA, acrescentou, tem uma Moção de Estratégia do líder e um programa de governação sufragado nas eleições gerais de Agosto último e a estratégia de governação do Presidente da República está na base desta acção. “Há uma combinação perfeita. Uma orquestra sinfónica, em que o maestro da orquestra está a comandar a mesma por forma que o processo seja certo e consequente”, afirmou.

Nesta óptica, Norberto Garcia pediu aos diferentes órgãos de comunicação social para informarem com verdade e responsabilidade, e não entrarem na lógica do sensacionalismo.

Norberto Garcia descartou a existência de uma crise política no seio do partido. “O partido tem uma coesão inimaginável”, afirmou, lembrando que o MPLA sempre foi um partido uno e indivisível, que valoriza a crítica e a autocrítica, bem como a votação para a solução das questões divergentes.

Corrupção e nepotismo

O secretário do bureau político do MPLA para a Informação assegurou que o partido vai apoiar “de forma incondicional” o Presidente João Lourenço no combate à corrupção e repatriamento de capitais de angolanos depositados em bancos no estrangeiro.
Norberto Garcia negou as alegações segundo as quais a maioria das pessoas detentoras de capitais no estrangeiro sejam do MPLA porque não foi feito um diagnóstico para se chegar a esta conclusão. “Não sei se estas pessoas são maioritariamente do MPLA. Há quem diga que sim, mas outros dizem que não. Não sei se está feito o diagnóstico para que possamos avaliar dessa forma”, declarou.

Sobre o nepotismo, o responsável partidário considerou existir algum exagero na interpretação do fenómeno no país. “A qualificação do indivíduo é o elemento essencial de diferenciação para dar nota que estamos em presença de uma situação de nepotismno”, explicou Norbertro Garcia, acrescentando que se o indivíduo tem qualificação e “curriculum” pode e deve ser chamado a exercer determinado cargo, porque ao contrário estaremos a violar um direito de outrem.
Apontou como exemplos práticos os casos do actual Presidente dos Estados Unidos da América, Donald Trump, e do antigo Chefe
de Estado da França, Nicolás Sarkozy.
O primeiro porque trabalha com a filha e o genro, enquanto o segundo tinha o filho a trabalhar no Fundo Soberano. (Jornal de Angola)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »