Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Situação do VIH-SIDA em Angola é dramática: Há 25 mil novas infecções são por ano

A situação do VIH-SIDA em Angola é dramática: 25 mil novas infecções são registadas anualmente no país. Os desafios da doença em Angola passam pelo fortalecimento da liderança política.

«A liderança política no âmbito do VIH é muito fraca. A Comissão Nacional de Luta Contra SIDA e grandes endemias que é liderada pelo Presidente da República, nos últimos quatro anos não funcionou», de acordo com António Coelho Administrador Executivo da Rede Angolana das Organizações de Serviços de SIDA (ANASO).

A discriminação ainda é um facto e quem é portador da doença conta o quão difícil é para si ter acesso a um emprego ou manter-se nele depois que a liderança da instituição apercebe-se do seu estado serológico. Apesar da lei angolana salvaguardar o direito de acesso ao emprego e a não “criminalização” da discriminação a prática é diametralmente oposta.

«É inadmissível que hoje e com mais frequência hajam empresas que pedem como parte do processo para admissão ao emprego o teste de VIH incluindo instituições do Estado», denunciou uma portadora da doença que preferiu não revelar o seu verdadeiro nome.

Maria Lizeth, de nome fictício, é seropositva. Ela vive com o vírus do SIDA há mais de quatro anos e lamenta o facto da sociedade ser bastante crítica em relação as pessoas vivendo com a doença.

O coordenador da Rede de Pessoas Vivendo com SIDA na província do Huambo está preocupado com o número excessivo de seropositivos que padecem de uma alimentação condigna em consequência da falta de emprego.

«É preciso reforçar a lei e sancionar quem assim procede», defende. Mas, graças ao apoio da família Maria Lizeth tem conseguido por meio dos tratamentos minimizar os efeitos da doença. É nos filhos onde a jovem tem o seu porto mais seguro, onde todos os dias atraca para buscar alento e forças para se manter firme na luta contra doença.

A articulação entre os diferentes actores, para além dos fundos adicionais, já que Angola não tem disponibilidade financeira para lutar contra SIDA é fundamental. (Voa)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »