Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Novo projeto de transportes públicos arranca hoje em Maputo

O governo moçambicano anunciou para hoje o arranque de um novo projeto de transportes públicos, que inclui ligações de automotoras e autocarros aos subúrbios, com o objetivo de diminuir o tráfico automóvel nas vias em redor da capital.

O projeto Metro-Bus é uma iniciativa privada que vai circular nas estradas e na via-férrea do Estado, oferecendo viagens grátis durante esta primeira semana, anunciou o Ministério dos Transportes e Comunicações, em comunicado.

De acordo com a tutela, o objetivo é que a população conheça o novo sistema de viagens através de automotoras e de uma frota de cerca de 100 autocarros.

O investimento e custos de exploração serão 100% suportados pelo operador privado, havendo parcerias com a empresa Portos e Caminhos de Ferro de Moçambique (CFM), detentora da infraestrutura ferroviária, e com os conselhos municipais de Maputo, Matola e Boane, assim como com os governos distritais da Machava e Marracuene.

O projeto vai cobrir progressivamente 25 estações através de caminhos de ferro e rodovia, “estando criadas todas as condições necessárias para o arranque da primeira fase”, anuncia o Ministério dos Transportes e Comunicações de Moçambique.

O diretor-geral da Fleetrail, Amade Camal, empresa responsável pelo projeto, anunciou, em novembro, ao jornal Notícias que o sistema é dirigido à classe média e terá um custo de 3500 meticais (50 euros) por mês, podendo ser adquiridos passes de menor duração e com preço proporcional.

O valor de 3.500 meticais por ano equivale a um terço do melhor salário mínimo do país, de acordo com os valores de tabela para 2017.

A ideia, detalhou, é que os carros desses utilizadores de classe média possam deixar a estrada, permitindo melhor circulação para os “chapas”, furgões adaptados para transporte público, que viajam geralmente sobrelotados.

A crise de transportes fez com que seja permitida, em determinados períodos, a utilização da caixa aberta de veículos de mercadorias para transporte de pessoas em vez de carga, meio de transporte popularmente designado “my love”, pelo facto de os passageiros serem obrigados a abraçarem-se, para não caírem. (Diário de Notícias)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »