Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Dois grupos chineses negociam COBA com Sonangol

A COBA, a empresa de engenharia de capitais angolanos, está no mercado e é cobiçada por grupo chineses.

Dois grupos chineses, um dos quais ligado à China Three Gorges (acionista da EDP) surgem no lote de interessados em tomar uma posição de controlo na COBA – Consultores para Obras, Barragens e Planeamento, detida por um consórcio angolano (Primagest) liderado pela Sonangol. O consórcio inclui também o ex-primeiro-ministro de Angola, Lopo do Nascimento, que preside à holding do grupo de engenharia.

Segundo o Expresso apurou, a norueguesa NorConsult estará igualmente entre os candidatos à compra dos 70% que a Primagest detém na COBA – o restante capital está disperso pelos fundadores da empresa.
Manter o rumo do grupo

Contactado pelo Expresso, a COBA confirma que tem sido abordada “por reputados operadores mundiais do sector da engenharia, com o objetivo claro de participação no seu capital”.

“Das várias manifestações de interesse, têm sido apreciadas as que garantam a continuidade da expansão do grupo e o reforço da presença no mercado internacional que representa mais de 90% da nossa atividade”, respondeu a COBA ao Expresso.

O interesse decorre do “sólido historial técnico e financeiro” que se traduz “em excelentes resultados nos últimos exercícios”.

A empresa nota que na sua carreira de mais de 50 anos “com intervenções em projetos internacionais em mais de 46 países” cooperou com empresas de diferentes origens, como “chinesas, norueguesas e francesas”.

Em 2016, a COBA faturou perto de 40 milhões de euros em mais 10 mercados e registou um lucro de 6 milhões (2,6 milhões em 2015). O grosso da receita resulta de mercados emergentes de África e América Latina, como Angola, Argélia, Colômbia e Peru. A COBA conta com sucursais em oito mercados.
Chineses à espreita

O perfil empresarial e a sua exposição ao mercado angolano torna a COBA especialmente apetitosa para grupos chineses. No mercado, aponta-se a China Design Group como um dos interessados, a par de uma subsidiária para a área de estudos e projetos da China Three Gorges.

Após a entrada de capital angolano, em 2011, a COBA encetou um processo de reorganização que reforçou a sua vocação internacional e melhorou a rentabilidade do negócio nos principais mercados. (Expresso)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »