Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Raríssimas:Santana quer apuramento de responsabilidades e pede serenidade

O candidato à liderança do PSD Pedro Santana Lopes defendeu hoje que se aguarde “um pouco mais” pelas conclusões dos anunciados inquéritos à associação Raríssimas, mas avisou que, a existirem responsabilidades políticas, estas têm de ser assumidas.

Questionado pelos jornalistas, na noite de quinta-feira, na Figueira da Foz, distrito de Coimbra, sobre se fosse líder da oposição pedia a demissão do ministro Vieira da Silva – que desempenhou funções de vice-presidente da assembleia-geral da Raríssimas -, Santana Lopes respondeu que gosta, “antes de pedir demissão seja de quem for, que sejam apuradas responsabilidades”.

“Não tenho o gosto de fazer sangue ou de pedir cabeças políticas. Agora, não é isso que está em causa, é responsabilidade. A responsabilidade política, se ela existir, com certeza tem de ser assumida, vamos aguardar mais um pouco”, defendeu o antigo autarca de Lisboa, da Figueira da Foz e ex-primeiro-ministro.

“Tem sido tão grande a catadupa de notícias, de factos insólitos, lamentáveis, tristes, a confirmarem-se as notícias todas que ouvimos que julgo que precisamos todos de um pouco de serenidade e de conclusões dos primeiros inquéritos”, acrescentou Santana Lopes.

Já numa alusão, sobre o mesmo caso, à demissão do agora ex-secretário de Estado da Saúde Manuel Delgado, Santana Lopes notou a “quantidade” de membros do Governo que se demitiram nos últimos dois anos.

“Mas isso é um privilégio que a esquerda tem em Portugal, de lhe poderem acontecer situações que a outros espaços políticos estão interditos”, frisou.

Uma reportagem divulgada no sábado pela TVI deu conta de alegadas irregularidades nas contas da associação Raríssimas, levando à demissão da presidente da associação, Paula Brito e Costa, por suspeita de utilizar fundos da instituição para fins pessoais.

A TVI avançou ainda que o agora ex-secretário de Estado da Saúde Manuel Delgado colaborou com a associação como consultor em 2013 e 2015 e que o atual ministro do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Vieira da Silva, assinou as contas da associação enquanto membro da assembleia geral.

Na terça-feira tanto Paula Brito e Costa como Manuel Delgado apresentaram a demissão dos cargos.

A denúncia da reportagem da TVI levou ainda a uma fiscalização da Inspeção Geral do Trabalho, que está na Casa dos Marcos, Moita – instituição onde funciona a Raríssimas – desde quarta-feira. (Notícias ao Minuto)

por Lusa

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »