Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Kizenga prevê colher 5 mil toneladas de milho em 2018

Cinco mil toneladas de milho poderão ser colhidas na fazenda Kizenga, município de Cacuso, na segunda época agrícola 2017/2018 (Janeiro a Março ) numa área de mil hectares, para abastecer o mercado nacional.

Para concretizar este objectivo, neste momento decorrem trabalhos de preparação da terra para que a partir de Janeiro seja lançada a semente.

Parte do milho a ser colhida deverá ser transformada em fuba e ração animal, enquanto o excedente será comercializado a granel aos criadores de gado e aves.

Em entrevista à Angop, o director da fazenda, Eliseu Sambongo, informou que a mesma pretende produzir a titulo experimental a partir da campanha agrícola 2018/2019, feijão e soja, e, para atingir este objectivo, foram feitos alguns testes no solo que apontam para a fertilidade da terra.

Enquanto isso, a fazenda Cristalina, também localizada no município de Cacuso, prevê colher, em Março de 2018, numa área de 700 hectares, oito toneladas de milho.

Esta fazenda prevê plantar, a título experimental, numa área de 12 hectares, batata-doce, batata -rena e hortícolas, enquanto numa outra de 60 hectares dos 70 que se prevê atingir até ao final do ano já foram plantadas sementes de mandioca.

A fazenda perspectiva nos próximos tempos a criação de gado bovino (400 cabeças) e caprino, para a produção de carne para o mercado.

Já na fazenda Sorriso Alegre, também em Cacuso, o proprietário Noé Gomes afirmou que estão a ser colhidas neste momento numa área de 14 hectares quantidades de batata-doce e mandioca plantadas este ano, e que se prevê em Janeiro e Março de 2018 semear numa área de 25 hectares os mesmos produtos.

Informou que neste momento estão a ser colhidas numa área de 7 hectares quantidades não específicadas de cana-de-açúcar, numa altura em que a fazenda está também a cultivar o tomate numa área de 4 hectares, para começar a ser colhida no primeiro trimestre de 2018.

Esta fazenda enfrenta problemas ligados ao escoamento dos produtos para os diferentes pontos de Malanje e da província de Luanda, que são os principais destinos, devido ao estado actual de degradação da estrada nacional 230.

Por outro lado, a dificuldade de obtenção de crédito bancário, a falta de divisas para a importação de determinadas matérias-primas, de energia da rede pública e o mau estado de conservação das estradas, foram apontadas por todos estes fazendeiros como os principais constrangimentos.

O município de Cacuso é potencialmente agrícola e detém várias fazendas privadas e públicas com destaque para a Biocom, Pedras Negras, Pungo- Andongo, Kizenga entre outras tuteladas pelo Ministério da Agricultura e o Fundo Soberano de Angola, no âmbito da GESTERRA (Gestão de Terras Aráveis). (Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »