Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

“Pacto de silêncio” trava combate à corrupção a um “nível superior”, diz sub-procurador-geral da República

O sub-procurador-geral da República de Angola, João Coelho, reconhece que há dificuldade em chegar a um “nível superior” nas investigações por corrupção, devido a um “pacto de silêncio” que se instala entre os implicados.

Em declarações à Rádio Nacional, o sub-procurador-geral da República adianta que os investigados geralmente fazem “um pacto de silêncio” e, mesmo sendo constituídos arguidos e condenados, “preferem ficar na cadeia do que efectivamente denunciar outras pessoas, que de alguma maneira estão ligadas ao crime”.

João Coelho acrescenta que mesmo havendo “suspeita de que há mais alguém envolvido, de um nível superior, não se chega ali, porque os documentos muitas vezes não são encontrados e porque há um pacto de silêncio”.

O responsável explica que depois de investigadas as pessoas que constam numa denúncia, as autoridades avançam para uma segunda fase, de investigação criminal, na qual as pessoas são livres de revelar ou ocultar com quem participaram nessa acção criminosa.

À falta de provas, o sub-procurador-geral sublinha que os investigadores só podem ir até onde o cidadão disser.

“Quer dizer, ele vai ficar oito ou dez anos na cadeia, mas prefere ficar na cadeia do que efectivamente denunciar outras pessoas, que de alguma maneira estão ligadas ao crime”, reforçou João Coelho, em declarações citadas pela agência Lusa.

Ainda sobre os constrangimentos no combate à corrupção, o responsável alerta para as limitações da direcção nacional de Combate à Corrupção da Procuradoria-Geral da República, composta por “apenas quatro magistrados”.

Para João Coelho, Angola precisa de “estrutura maior, com uma direcção grande, onde estariam procuradores, eventualmente, e peritos de contabilidade, serviços de inteligência, com algum poder, que poderiam efectivamente dar uma outra visão, dimensão ao combate à corrupção” no país. (Novo Jornal Online)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »