- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Destaques Angola - Espanha: Dinheiro de suborno em caixas de bolachas

Angola – Espanha: Dinheiro de suborno em caixas de bolachas

A justiça espanhola está a investigar uma empresa pública do país que terá subornado um ex-vice-ministro de Angola com “caixas de bolachas cheias de notas”. Em causa estaria a facilitação da construção mercado em Luanda.

Na sequência de uma denúncia feita em 2010, a procuradoria espanhola anti-corrupção investiga a empresa pública Mercasa que, alegadamente, subornou o antigo vice-ministro do Comércio de Angola, Manuel da Cruz Neto.

O objectivo era ganhar um contrato de 533 milhões de euros destinado a construir um mercado abastecedor na capital angolana. O dinheiro terá sido entregue em Luanda e recolhido depois em Lisboa em caixas de bolachas colocadas no porta-bagagem do carro do ex-governante.

FESA envolvido no “barulho”

O diário espanhol “El Mundo” divulgou, em Novembro último, que o contrato foi assinado quando Cruz Neto era vice-ministro do Comércio, antes de assumir o cargo de vice-ministro das Finanças. O caso é seguido em Lisboa pela Transparência e Integridade – Associação Cívica (TIAC).

Para o presidente da TIAC, João Paulo Batalha, “este caso mostra que há uma prática de pessoas com responsabilidades políticas e próximas do poder em Angola a fazerem negócios ou, às vezes, puramente transacções financeiras, com dinheiro de proveniências desconhecidas e suspeitas, em muitos casos, para a Europa, mas também que acontece noutro tipo de participações financeiras.”

E Batalha garante: “Nós acompanhamos, obviamente, vários dos negócios em Portugal, mas sabemos que eles existem também noutros países; neste caso em Espanha, em França, na Suíça.”

O jornal “El Mundo” informa ainda que a justiça espanhola também investiga alegados pagamentos em comissão, que terão chegado aos 10 milhões de euros, efectuados pela Mercasa à fundação com o nome do ex-Presidente angolano, José Eduardo dos Santos (FESA). A fundação estaria igualmente relacionada com o negócio para a construção do mercado em Luanda. A FESA desmentiu ter recebido tais valores.

Mas para João Paulo Batalha “há sempre ligações. Nunca são negócios isolados. Mesmo quando é uma troca de um favor ou de um suborno há sempre depois outras implicações, porque esse dinheiro ilegalmente recebido circula por vários bancos, várias empresas de fachada ou muitas vezes [aplicados em] imobiliário de luxo, apartamentos que podem não ser em Espanha, podem ser em Lisboa ou em Cascais ou noutros sítios de Portugal. E portanto, há aqui um padrão de apropriação indevida de dinheiro, portanto, de corrupção.”

Combate à corrupção para ser levado a sério?

Eugénio Almeida, investigador do Centro de Estudos Internacionais do Instituto Universitário de Lisboa (CEI-IUL), acredita que estas notícias surgem na sequência das alterações imprimidas pelo Governo do Presidente angolano João Lourenço.

O investigador lembra que este fez do combate à corrupção um dos seus “cavalos de batalha”: “Embora este seja o mais recente [caso], já tem havido casos que se tem falado, até com diplomatas angolanos que têm tido atitudes pouco diplomáticas, digamos assim, em Espanha.”

“E, portanto, é natural que tudo isso seja, desculpa a expressão, uma evoluição na continuidade. Isso parece que não releva muito e torna-se ainda mais evidente, mais claro, com o combate que João Lourenço está a fazer à corrupção e que parece, pelo menos daquilo que nós verificamos, que é para se levar a sério”, considera Almeida.

Segundo o investigador, este caso terá sido encerrado a nível diplomático entre Angola e Espanha, ao contrário do processo que ainda decorre a nível da justiça em Portugal envolvendo o ex-vice-presidente angolano Manuel Vicente, acusado de crime de corrupção e branqueamento de capital. (DW)

- Publicidade -
- Publicidade -

Brasileiros brilham em novela portuguesa indicada ao Emmy

Os indicados ao Emmy foram anunciados na semana passada e o Brasil teve sete obras seleccionadas pela Academia Internacional de Artes e Ciências da...
- Publicidade -

Finanças defende pagamento dos impostos de exploração à fonte

O delegado das Finanças na Lunda Norte, Anastor Ucueiânga, defende que o pagamento das obrigações fiscais referente à exploração de diamantes sejam feitas localmente,...

Procuradoria moçambicana formaliza acusação de tráfico de drogas contra 11 paquistaneses

A Procuradoria da República na província moçambicana de Cabo Delgado anunciou nesta segunda-feira, 28, ter acusado formalmente 11 cidadãos do Paquistão de tráfico de...

Turquia apela ao fim da “ocupação” arménia do Nagorno-Karabakh

O Presidente turco Recep Tayyip Erdogan apelou, esta segunda-feira, ao fim da “ocupação” arménia do Nagorno-Karabakh para acabar com os confrontos mortíferos que opõem...

Notícias relacionadas

Brasileiros brilham em novela portuguesa indicada ao Emmy

Os indicados ao Emmy foram anunciados na semana passada e o Brasil teve sete obras seleccionadas pela Academia Internacional de Artes e Ciências da...

Finanças defende pagamento dos impostos de exploração à fonte

O delegado das Finanças na Lunda Norte, Anastor Ucueiânga, defende que o pagamento das obrigações fiscais referente à exploração de diamantes sejam feitas localmente,...

Procuradoria moçambicana formaliza acusação de tráfico de drogas contra 11 paquistaneses

A Procuradoria da República na província moçambicana de Cabo Delgado anunciou nesta segunda-feira, 28, ter acusado formalmente 11 cidadãos do Paquistão de tráfico de...

Turquia apela ao fim da “ocupação” arménia do Nagorno-Karabakh

O Presidente turco Recep Tayyip Erdogan apelou, esta segunda-feira, ao fim da “ocupação” arménia do Nagorno-Karabakh para acabar com os confrontos mortíferos que opõem...

Detido cidadão estrangeiro por furto de cabos eléctricos em Luanda

Um cidadão da Guiné Conacry, de 27 anos, foi detido pelo Serviço de Investigação Criminal (SIC), acusado de furto de cabos eléctricos e associação...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.