InicioAngolaSociedadeRavinas ameaçam principais estradas do país

Ravinas ameaçam principais estradas do país

Duas das principais estradas do país estão em vias de ficar intransitáveis por causa da progressão das ravinas.

Na província do Bengo está em risco a Estrada Nacional 225, que pode cortar a ligação rodoviária com a província do Uíge a curto prazo, enquanto na província de Malange, na zona de Marimba, já há cerca de 90 quilómetros intransitáveis, o que dificulta, nomeadamente, as trocas comerciais com a República Democrática do Congo.

Por outro lado, o avanço das ravinas está a alarmar a população de Luena, no Moxico, onde as fendas ameaçam engolir alguns edifícios públicos.

Já em Kuando Kubango, as ravinas estão a pôr em causa o funcionamento da pista do aeroporto 23 de Março, no município do Cuíto Cuanavale.

A esse propósito, o ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares, defendeu hoje, em Luanda, durante a abertura do Conselho Consultivo do ministério que se realiza sob o lema “Construção e obras públicas – Situação actual e desafios”, a atribuição da responsabilidade da manutenção de estradas e estancamento de ravinas aos municípios, defendendo a necessidade das intervenções de conservação e manutenção das estradas e obras públicas “serem imediatas e por decisão local”.

“Para isso temos que capacitar os técnicos e as brigadas de intervenção municipais”, disse o governante, observando que este é um processo gradual que começará pelas actividades de construção, conservação e manutenção de estradas secundárias e terciárias nos municípios mais bem organizados.

Manuel Tavares falou ainda de outras prioridades do ministério, como a de apetrechar o laboratório de engenharia de Angola com equipamentos e técnicos qualificados, “para poder certificar, de facto a qualidade dos materiais e das obras, através de processos modernos, eficazes e eficientes”. (Novo Jornal Online)

Siga-nos

0FansCurti
0SeguidoresSeguir
0InscritosSe inscrever

Últimas notícias

Notícias relacionadas

- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.