- Publicidade-
Smooth Jazz Rádio Calema
Inicio Mundo Europa Catalunha: Puigdemont diz que “é insustentável” realizar eleições com candidatos presos

Catalunha: Puigdemont diz que “é insustentável” realizar eleições com candidatos presos

O juiz do Supremo Tribunal espanhol deverá decidir na próxima segunda-feira se liberta, e em que condições, os oito ex-ministros regionais catalães e dois líderes de associações separatistas que atualmente aguardam julgamento em prisão.

O ex-presidente da Catalunha Carlos Puigdemont disse hoje que é insustentável que haja eleições na Catalunha com uma grande parte dos candidatos na prisão, exigindo que o Supremo decida na segunda-feira pela sua libertação.

“Estão presos por razões políticas, e se finalmente forem libertados é porque é insustentável que haja eleições com uma grande parte dos candidatos na prisão”, disse Puigdemont numa entrevista perante um público de 500 pessoas no festival anual do jornal flamengo ‘De Standaard’.

O juiz do Supremo Tribunal espanhol deverá decidir na próxima segunda-feira se liberta, e em que condições, os oito ex-ministros regionais catalães e dois líderes de associações separatistas que atualmente aguardam julgamento em prisão.

Segundo fontes judiciárias, o juiz Pablo Llorena comunicou aos advogados da defesa que, em princípio, só irá anunciar a sua decisão na segunda-feira, depois de, durante a manhã de hoje, ter ouvido, um a um, os dez detidos acusados de crimes de rebelião, secessão e peculato.

Se isto acontecer significa que a decisão será tomada um dia antes do início, em 05 de dezembro, da campanha eleitoral para as eleições regionais da Catalunha de 21 de dezembro.

Oito dos dez separatistas detidos, entre os quais o ex-vice-presidente catalão, Oriol Junqueras, são candidatos a essas eleições.

Os oito conselheiros (ministros regionais) e os dois líderes de associações cívicas separatistas querem seguir os passos da presidente do parlamento catalão, libertada a 10 de novembro último, depois de ter pago uma fiança de 125.000 euros.

Para conseguir ficar à espera de julgamento em liberdade, Carme Forcadell assegurou ao tribunal que acatava o artigo 155.º da Constituição espanhola, que permitiu a intervenção do Governo central na Catalunha, e que renunciava à independência unilateral da região.

No recurso contra a prisão preventiva, que apresentaram no início da semana, e em que pediam para ser ouvidos, os detidos afirmavam que aceitavam as consequências do artigo 155º. da Constituição e concordam que a declaração unilateral de independência aprovada em 27 de outubro último teve apenas um valor político.

A consulta popular de 21 de dezembro foi convocada pelo chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, em 27 de outubro passado, no mesmo dia em que decidiu dissolver o parlamento da Catalunha e destituir o executivo regional presidido por Carles Puigdemont.

Os partidos separatistas ganharam as últimas eleições regionais, em 2015, o que lhes permitiu formar um governo que organizou um referendo de autodeterminação em 01 de outubro último que foi considerado ilegal pelo Estado espanhol.

Os conselheiros foram presos preventivamente no final da primeira audiência no tribunal e depois de Carles Puigdemont e mais quatro membros do seu gabinete se terem refugiado na Bélgica, argumentando não confiar na democracia espanhola. (Jornal Económico)

por Lusa

- Publicidade -
- Publicidade -

Ataque da Junta Militar da Renamo faz dois mortos e quatro feridos em Manica, diz a Polícia

Duas pessoas morreram e outras quatro ficaram gravemente feridas, entre elas duas crianças, num ataque armado contra carrinhas de transporte de passageiros, numa estrada...
- Publicidade -

Sporting CP, Porto e Benfica sem adversários na 2ª jornada

A segunda jornada do campeonato português da primeira divisão de futebol encerra nesta segunda-feira 28 de Setembro com o jogo entre o Belenenses SAD...

Linha azul do metro de Lisboa interrompida após desabamento

Com um ferido cadastrado, a linha azul do Metropolitano de Lisboa foi hoje interrompida depois de um desabamento na Praça de Espanha. O incidente terá...

EUA impõem restrições ao maior produtor de semicondutores da China alegando uso para fins militares

EUA impuseram restrições às exportações destinadas à SMIC – o maior produtor de semicondutores da China – ao concluir que existe um "risco inaceitável"...

Notícias relacionadas

Ataque da Junta Militar da Renamo faz dois mortos e quatro feridos em Manica, diz a Polícia

Duas pessoas morreram e outras quatro ficaram gravemente feridas, entre elas duas crianças, num ataque armado contra carrinhas de transporte de passageiros, numa estrada...

Sporting CP, Porto e Benfica sem adversários na 2ª jornada

A segunda jornada do campeonato português da primeira divisão de futebol encerra nesta segunda-feira 28 de Setembro com o jogo entre o Belenenses SAD...

Linha azul do metro de Lisboa interrompida após desabamento

Com um ferido cadastrado, a linha azul do Metropolitano de Lisboa foi hoje interrompida depois de um desabamento na Praça de Espanha. O incidente terá...

EUA impõem restrições ao maior produtor de semicondutores da China alegando uso para fins militares

EUA impuseram restrições às exportações destinadas à SMIC – o maior produtor de semicondutores da China – ao concluir que existe um "risco inaceitável"...

Filipe Zau e Filipe Mukenga lançam novo cd e um livro em Lisboa

Os compositores angolanos Filipe Zau e Filipe Mukenga lançaram, no sábado, em Lisboa, um disco intitulado "Canto Terceiro da Sereia: O encanto" e o...
- Publicidade -

Deixe um comentário

Por favor insira seu comentário!
Digite seu nome aqui

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.