Notícias de Angola - Toda a informação sobre Angola, notícias, desporto, amizade, imóveis, mulher, saúde, classificados, auto, musica, videos, turismo, leilões, fotos

Mundial de futebol é sorteado esta tarde

Hoje, a partir das 16h00, os holofotes vão estar voltados para o Palácio do Kremlin, na cidade de Moscovo, Rússia, no sorteio da 21.ª edição da fase final do Campeonato do Mundo de futebol, a decorrer de 14 de Junho a 15 de Julho do próximo ano.

Oriundas de cinco continentes, África (5), Europa (14), América (8), Ásia (4) e Oceânia (1), as 32 selecções conhecem esta tarde a composição dos respectivos grupos, de A a H, constituídos por quatro equipas cada um, para o evento disputado sob a égide da Federação Internacional de Futebol Associado, FIFA.

É ponto assente que as selecções do Pote 1, designadamente Rússia (anfitriã), Alemanha (detentora do título), Portugal (campeão europeu), Brasil, Argentina, Bélgica, Polónia e França, na condição de cabeças-de-série, não se defrontam na primeira etapa da prova.

Como adversários, os países melhores classificados no ranking defrontam os dos potes 2, 3 e 4. O critério utilizado para agrupar as selecções foi o da ordem decrescente na classificação mundial, sendo que os russos tiveram tratamento diferenciado por serem os organizadores.

No Pote 2 estão Espanha, Peru, Suíça, Inglaterra, Colômbia, México, Uruguai e Croácia. O 3 é composto pela Dinamarca, Islândia, Costa Rica, Suécia, Tunísia, Egipto, Senegal e Irão, quando no 4 foram escalonados a Sérvia, Nigéria, Austrália, Japão, Marrocos, Panamá, Coreia do Sul e Arábia Saudita.

Como é costume em sorteios, uma bola é tirada inicialmente do primeiro pote, contendo o nome da equipa, e a seguir outra, com a indicação do grupo, de modo a determinar a série em que cada país vai disputar a primeira fase. Exceptuando as selecções europeias, nenhuma selecção da mesma confederação pode ser emparceirada no mesmo grupo.

Gala de estrelas
A cerimónia, marcada para uma sala de concertos com capacidade para seis mil pessoas, é apresentada pelo antigo avançado inglês Gary Lineker, auxiliado pela jornalista desportiva russa Maria Komandnaya. O francês Laurent Blanc, o brasileiro Cafú, o italiano Fábio Cannavaro, o uruguaio Diego Forlan, o argentino Diego Maradona, o espanhol Carles Puyol e a russa Nikita
Simonyan são alguns dos ex-jogadores convidados para abrilhantar o espectáculo.

Em 87 anos de história, o Campeonato do Mundo regista oito campeões. Brasil é o país mais titulado (1958, 62, 70, 94 e 2002), a Itália tem quatro (1934, 38, 82 e 2006), à semelhança da Alemanha (1954, 74, 90 e 2014).

Com dois troféus conquistados, o palmarés acomoda Uruguai, primeiro vencedor da competição (1930 e 50) e Argentina (1978 e 90). A Inglaterra ganhou em (1966), a França em 1998, e a Espanha em 2010, o ano do Mundial Africano, da Jabulani e da Vuvuzela.

Angola foi, em 2006, na Alemanha, depois do Brasil e Portugal, o terceiro país a disputar um Mundial. Na sua presença inédita, os Palancas Negras, num universo de 32 equipas, ocuparam a 23.ª posição.
Inseridos no Grupo D da fase preliminar, a Selecção Nacional conquistou dois pontos, resultantes de dois empates frente ao México, sem golos, e 1-1, na despedida diante do Irão. Na estreia, o conjunto orientado pelo angolano Oliveira Gonçalves perdeu por 1-0, com Portugal.

Por sua vez, Marrocos foi em 1970 o primeiro representante africano na festa do desporto rei, quando na altura o evento era jogado por 16 equipas. Camarões, em 1990, Senegal, em 2002, e Ghana, em 2010, são os países africanos com melhor resultado, a sétima posição. Todos chegaram até aos quartos-de-final.

África já marcou presença com Angola, África do Sul, Zaire (actual Congo Democrático), Tunísia, Marrocos, Argélia, Camarões, Togo, Costa do Marfim, Ghana, Nigéria e Egipto. Os sul-africanos acolheram a primeira e única edição no continente, o quarto com 32 equipas, depois de estreia em 1998, na consagração caseira da França de Zinedine Zidane.
*Com FIFA

Itália desfalca lista das selecções campeãs
Tetra campeã, a Itália está de fora da competição, 60 anos depois, constituindo deste modo a maior surpresa do Mundial.
A ausência dos italianos, capitaneados pelo imponente Gianluigi Buffon, eleito este ano na Gala da FIFA melhor guarda-redes do mundo, é a nota negativa. Holanda, Chile e Estados Unidos são outras das nações que falham o campeonato.

Quanto aos recintos, o Estádio Luzhniki, em Moscovo, vai albergar o jogo de abertura, incluindo quatro partidas da fase de grupos, um encontro dos oitavos-de-final, uma meia-final e a final.

O Estádio do Spartak, na mesma cidade, recebe quatro jogos da fase de grupos e um dos oitavos-de-final. A cidade de Ecaterimburgo recepciona quatro jogos da fase de grupos. Kaliningrado, quatro partidas da etapa preliminar, a região de Kazan idem, mais um desafio dos quartos e outro dos oitavos-de-final.

Níjni Novgorod acolhe quatro jogos da fase de grupos, um encontro dos quartos e outro dos oitavos-de-final. Em Rostov-on-Don estão previstos quatro jogos da fase de grupos e um dos oitavos-de-final. Em São Petersburgo, quatro, para além de uma partida dos oitavos-de-final, meias-finais e a atribuição do terceiro lugar. Samara, quatro jogos, sendo um encontro referente aos quartos e um dos oitavos-de-final.

Saransk vai ser palco de quatro partidas da fase de grupos. Sóchi, quatro da fase de grupos, um dos quartos e dos oitavos-de-final. Em Volgogrado quatro jogos da fase de grupos. (Jornal de Angola)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Vamos supor que você está bem com isso, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais

Translate »