RDC: Estados Unidos apelam ao Presidente Kabila para deixar poder depois das eleições

Os Estados Unidos da América exortaram, nesta terça-feira, na capital congolesa (Kinshasa) ao Presidente Kabila a deixar o poder, depois das eleições de Dezembro de 2018.

A exortação consta num comunicado do Departamento do Estado retomado pela embaixada americana, em Kinshasa.

O calendário eleitoral publicado domingo último, indica que na RDC, a eleição presidencial terá lugar no dia 23 de Dezembro de 2018.

“Os Estados Unidos considera importante o Presidente Kabila respeitar a Constituição da RDC, tal como reafirmado no acordo de São Silvestre, de não procurar exercer um terceiro mandato, e deixar o poder depois das eleições”, lê-se no comunicado.

A nota refere ainda que o acordo entre o poder e a oposição, a 31 de Dezembro de 2016, previa eleições gerais, até fim de 2017.

Os EUA apelam igualmente o fim das perseguições políticas, a libertação dos prisioneiros políticos e o respeito do direito de reunião e de associação pacíficas, de organizar comícios pacíficos sem imiscuirão ou intimidação da parte do governo.

No documento, Washington diz-se decidido a trabalhar com o povo e as instituições congolesas, a União Africana, os parceiros regionais e internacionais e a Missão da ONU na RDC (MONUSCO), visando a estabilização da RDC, para que os 45 milhões de eleitores congoleses votem a tempo, e como está previsto em Dezembro de 2018.

A oposição e a sociedade civil rejeitam o calendário eleitoral, e sugerem uma transição sem Kabila, a partir de 31 de Dezembro de 2017.

O Movimento Luta para a Mudança (LUCHA) apelou os congoleses a um levantamento popular, com a primeira manifestação aprazada par o dia 15 de Novembro corrente.(Angop)

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

Translate »